Crianças, infâncias e territórios como matrizes formativas de educadores da Educação Infantil do Campo

Children, childhood and territories as a training matrix for early childhood education educators in the countryside

Autores

DOI:

10.31792/rc.v20i38.7596

Resumo

Buscando refletir sobre a formação continuada de educadores da Educação Infantil do Campo, o presente artigo objetiva discutir como matriz de formação docente os conceitos de criança(s) e infância(s), reconhecendo-as em seu caráter plural e como atores sociais. O artigo apresenta resultado de uma pesquisa qualitativa, participante, desenvolvida em uma escola de Educação Infantil do Campo. Participaram da pesquisa 17 educadoras e 12 crianças com idades entre 3 e 5 anos e foram utilizados questionário e Círculos Epistemológicos. As educadoras expressaram compreensão dos processos constitutivos das identidades, do protagonismo das infâncias camponesas, pertencimento sociocultural como produtores de modos próprios de existências. Conclui-se que uma matriz formativa docente referente a estas concepções apresenta-se como interesse formativo para tais educadoras.

Palavras-chave: Formação Continuada de professores, Educação Infantil, Educação do Campo.

 

Abstract

Seeking to reflect on the continuing education of teachers in Early Childhood Education in the Countryside, this article aims to discuss the concepts of child(ren) and childhood as a teacher educating matrix, recognizing them in their plural character and as social actors. The article presents the result of a qualitative, participative research, developed in an early childhood education school in the countryside. 17 teachers and 12 children aged between 3 and 5 years old participated in the research and a questionnaire and Epistemological Circles were used. The teachers expressed understanding of the constitutive processes of identities, the protagonism of peasant childhoods, sociocultural belonging as producers of their own modes of existence. It is concluded that a teaching formative matrix referring to these conceptions, presents itself as a formative interest for such Teachers.

Keywords: Continuing Education of Teachers, Early Childhood Education, Rural Education.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Castelo Branco, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Mestre em Educação pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e licenciada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Feira de Santana (2006). Atualmente é coordenadora pedagógica com atuação no Núcleo Territorial de Educação 19 e Especialista em Educação com atuação na Secretaria Municipal de Educação.

Idalina Borghi, Universidade Federal do Rencôncavo da Bahia

Doutorado e Mestrado em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora adjunta IV da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Professora permanente do Programa de pós- Graduação em Educação Científica Inclusão e Diversidade (PPGECID), coordena o grupo de Estudos e Pesquisas em Educação e Diversidade (GEPED), desenvolve estágio Pós-doutoral no Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC/Uneb).

Salomão Hage, Universidade Federal do Para

Doutorado em Educação (Currículo) pela PUC-SP e Doutorado Sanduíshe na Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos. Professor da UFPA com atuação no PPGED-ICED e no PPLSA em Bragança. Bolsista produtividade do CNPq, coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação do Campo, das Águas e das Florestas nas Amazônias, e o Fórum Paraense de Educação do Campo.

Referências

ARROYO, Miguel. A educação básica e o movimento social do campo. In: ARROYO, Miguel; CALDART, Roseli Salete; MOLINA, Mônica Castagna (Org.). Por uma educação do campo. Petrópolis: Vozes, 2004. p. 65-86.

ARROYO, Miguel Gonzalez. Outro paradigma pedagógico de formação de educadores do campo? In: MOLINA, Mônica Castagna; MARTINS, Maria de Fátima Almeida [orgs.]. Formação de formadores: reflexões sobre as experiências da licenciatura em educação do campo no Brasil. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2019, p.79-99.

BRASIL. Política de Educação Infantil no Brasil: relatório de avaliação. Brasília: MEC, SEB; Unesco, 2009a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=7873-politica-educacao-infantil-relatorio-avaliacao-260411-pdf&category_slug=abril-2011-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 05 ago. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara De Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação Infantil. Resolução CNE/CEB 5/2009. Diário Oficial da União, Brasília, 18 de dezembro de 2009b, Seção 1, p. 18.

BRASIL. Decreto 7352, de 04 de novembro de 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/marco-2012-pdf/10199-8-decreto-7352-de4-denovembro-de-2010/file. Acesso em: 30 jun. 2020.

CALDART, Roseli Salete. Por Uma Educação do Campo: traços de uma identidade em construção. In: ARROYO, Miguel Gonzalez; CALDART, Roseli Salete; MOLINA, Monica Castagna (Org.). Por Uma Educação do Campo. 5 ed. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 63-126.

CÔCO, Valdete. Educação Infantil do campo: aproximações com o cenário do Espírito Santo. In: Reunião Anual da Associação Nacional de Pós- graduação e Pesquisa em Educação, 34, 2011, Natal. Anais eletrônicos [...]. Disponível em http://34reuniao.anped.org.br/images/trabalhos/GT03/GT03-379%20int.pdf. Acesso em: 02 out. 2020.

COHN, Clarice. Antropologia da criança. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

FREIRE, Paulo. Alfabetização: Leitura do mundo, leitura da palavra? Paulo Freire, Donaldo Macedo; tradução Lólio Lourenço de Oliveira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GABARRÓN, Luís R.; LANDA, Libertad Hernandez. O que é pesquisa participante? In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues; STRECK, Danilo R. (orgs.). Pesquisa Participante: a partilha do saber. Aparecida, São Paulo: Ideias & Letras, 2006. p. 93-121.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2001. p. 09-16.

NÓVOA, António. Conhecimento profissional docente e formação de professores.

Revista Brasileira de Educação, v. 27, 2022, p.1-20.

QVORTRUP, Jens. Infância enquanto categoria estrutural. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 2, p. 631-642, maio/ago. 2010.

SANTOS, Milton. O dinheiro e o território. In: OLIVEIRA, Márcio P.; HAESBAERT, Rogério; MOREIRA, Ruy. Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. Niterói: PPGEO/UFF, 2002. p.12-48.

SANTOS, Boaventura de Souza. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. In: SANTOS, Boaventura de Souza (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as ciências revisitado. São Paulo: Cortez, 2006. p. 777- 813.

SARMENTO, Manuel. As Culturas da Infância nas Encruzilhadas da Segunda Modernidade. In: SARMENTO, MManuel.; CERISARA, A. Crianças e Miúdos: perspectivas sociopedagógicas da infância e educação. Porto: Edições ASA, 2004.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Sociologia da Infância: correntes e confluências. In: SARMENTO, Manuel Jacinto; GOUVEA, Maria Cristina Soares de. Estudos da infância: educação e práticas sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008. p. 17-39.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Infância, exclusão social e educação como utopia realizável. Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 78, p. 265-283, abr. 2002.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Gerações e alteridade: interrogações a partir da sociologia da infância. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 91, p. 361-378, maio/ago. 2005.

SILVA, Ana Paula Soares da.; PASUCH, Jaqueline; SILVA, Juliana Bezzon da. Educação Infantil do Campo. São Paulo: Cortez, 2012.

Downloads

Publicado

04/06/2024
Métricas
  • Visualizações do Artigo 51
  • pdf downloads: 30

Como Citar

CASTELO BRANCO DE SANTANA, F.; SOUZA MASCARENHAS BORGHI, I.; MUFARREJ HAGE, S. A. Crianças, infâncias e territórios como matrizes formativas de educadores da Educação Infantil do Campo: Children, childhood and territories as a training matrix for early childhood education educators in the countryside. Revista Cocar, [S. l.], v. 20, n. 38, 2024. DOI: 10.31792/rc.v20i38.7596. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/7596. Acesso em: 12 jul. 2024.