Relações de género e do corpo na escola: diretivas promotoras de culturas inclusivas para as práticas pedagógicas

Autores

  • José Paulo Gomes Brazão
  • Alfrancio Ferreira Dias

Resumo

Gender and body relations in school: guidelines promoting inclusive cultures for pedagogical practices

Resumo

Este artigo pretende apresentar diretivas promotoras de culturas inclusivas para as práticas pedagógicas sobre as relações de género e do corpo, fundamentadas nos conceitos de coeducação (DIAS, 2014) e de educação para o empoderamento social. Abordamos os conceitos de género (CARDONA et al, 2011), e de género, sexo e poder de acordo com a visão performativa de Butler (1990). Ressalvamos a pertinência de ações na escola que permitam libertação e afirmação dos processos identitários dos indivíduos inseridos nas comunidades escolares, pois constata-se que os ambientes escolares apresentam disciplinarização da masculinidade e da feminilidade (DIAS, 2014), do controle do erotismo, da sexualidade e do corpo (LE BRETON, 2003). Concluímos com a convicção de que as diretivas promotoras de culturas inclusivas para as práticas pedagógicas sobre as relações de género e do corpo são uma forma de afirmação política das diferenças, dos processos identitários e da minimização das desigualdades que com que nos deparamos no campo educativo. em suma, uma possibilidade para a transformação da cultura da escola.

Palavras-chave: coeducação. Cultura da Escola. Género

Abstract

This article aims to present guidelines promoting inclusive cultures for pedagogical practices on gender and body relationships, based on the concepts of coeducation (DIAS, 2014) and education for social empowerment. We approach the concepts of gender (CARDONA et al, 2011), and of gender, sex and power according to Butler's performative vision (1990). We emphasize the relevance of actions at the School that allow the liberation and affirmation of the identity processes of inserted individuals in school communities because it appears that school environments present disciplinarization of masculinity and femininity (DIAS, 2014), control of eroticism, sexuality and the body (LE BRETON, 2003). We conclude with the conviction that the directives that promote inclusive cultures for pedagogical practices on gender and body relations are a form of political affirmation of differences, identity processes and minimizing the inequalities that we face in the educational field. In short, a possibility for the transformation of the School's culture.

Keywords: Coeducation. School Culture. Genre.

Biografia do Autor

José Paulo Gomes Brazão

Doutor em Educação. Pesquisador do Centro de Investigação em Educação da Universidade da Madeira (Portugal) e Professor do Programa de Pós-graduação em Currículo e Inovação Pedagógica da Universidade da Madeira (Portugal).

E-mail: jbrazao@staff.uma.pt. Orcid: http://orcid.org/0000-0003-3575-4366.

Alfrancio Ferreira Dias

Doutor em Sociologia. Professor do Departamento de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe (Brasil). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.

E-mail: diasalfrancio@gmail.com.

Orcid: http://orcid.org/0000-0002-5562-0085.

Downloads

Publicado

27/04/2020

Edição

Seção

Artigos