A melhoria da qualidade do ensino-aprendizagem de alunos surdos: contribuições da pedagogia de Paulo Freire

Improving the quality of teaching and learning for deaf students: contributions from Paulo Freire’s pedagogy

Autores

Palavras-chave:

Educação de surdos, Práxis, Paulo Freire

Resumo

Este artigo, elaborado a partir de uma dissertação de Mestrado, analisa a percepção e a prática de professores de alunos surdos. O referencial teórico foi construído a partir de princípios freireanos[i] e aportes teóricos de pesquisadores que trabalham com o tema surdez. A pesquisa, de abordagem qualitativa, assumiu a forma de estudo de caso. Os dados foram coletados por meio da análise de documentos e de entrevistas semiestruturadas com professores que apresentaram indícios de conhecimentos do pensamento de Paulo Freire em suas práticas. Quatro categorias, selecionadas na Pedagogia de Freire, foram destacadas para análise dessas evidências: cidadania, formação permanente, diálogo e educação humanizadora. Os resultados demonstram a forte contribuição do pensamento freireano na práxis dos docentes como elementos potencializadores da melhoria da qualidade do ensino-aprendizagem do aluno surdo.

Palavras-chave:  Educação de surdos; Práxis; Paulo Freire.

 

Abstract

This paper, based on a Master’s thesis, analyzes the perception and practice of teachers of deaf students. The theoretical framework was constructed based on Freirean principles and theoretical contributions from researchers who work with the deafness theme. The research, with a qualitative approach, took the form of a case study. Data were collected through the analysis of documents and semi-structured interviews with teachers who showed evidence of knowledge of Paulo Freire’s thinking in their practices. Four categories, selected in Paulo Freire’s Pedagogy, were highlighted for analysis of this evidence: citizenship, permanent training, dialog and humanizing education. The results demonstrate the strong contribution of the Freirean thinking in the praxis of teachers as elements that enhance the improvement of the quality of teaching and learning for deaf students.

Keywords:  Education for the deaf; Praxis; Paulo Freire.

 

[i] O uso do adjetivo “freireano” e flexões visa conservar a grafia do sobrenome com o intuito de evidenciar a autoria das produções de Paulo Freire.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Priscilla Perugini, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Mestra e Doutoranda pelo Programa de Educação: Currículo da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). E-mail: peruginipriscilla@gmail.com. Orcid ID: https://orcid.org/0000-0003-0282-5404

Ana Maria Saul, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Ana Maria Saul

Professora Doutora do Programa Educação: Currículo da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Coordenadora da Cátedra Paulo Freire da PUC-SP. E-mail: anasaul@uol.com.br. Orcid ID: https://orcid.org/0000-0002-0114-444X

 

Referências

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, [2002]. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm. Acesso em: 21 ago. 2023.

BRASIL. Decreto Nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 246, p. 28-30, 23 dez. 2005.

BRASIL. Lei Nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 120-A, edição extra, p. 1-7, 26 jun. 2014.

BRASIL. Lei nº 14.191, de 3 de agosto de 2021. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), para dispor sobre a modalidade de educação bilíngue de surdos. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, [2021]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2021/Lei/L14191.htm. Acesso em: 21 ago. 2023.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979a. (Coleção Educação e Comunicação).

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979b.

FREIRE, Paulo. Política e educação: ensaios. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001. (Questões de Nossa Época).

FREIRE, Paulo; MACEDO, Donaldo. Alfabetização: leitura do mundo, leitura da palavra. Tradução: Lólio Lourenço de Oliveira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GANDRA, Alana. País tem 10,7 milhões de pessoas com deficiência auditiva, diz estudo. Agência Brasil, Rio de Janeiro, 13 out. 2019. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-10/brasil-tem-107-milhoes-de-deficientes-auditivos-diz-estudo. Acesso em: 15 ago. 2023.

HADDAD, Sérgio. Educação de jovens e adultos, direito humano e desenvolvimento humano. In: CATELLI JUNIOR, Roberto (org.). Formação e práticas na educação de jovens e adultos. São Paulo: Ação Educativa, 2017. p. 23-42.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Releitura dos dados de pessoas com deficiência no Censo demográfico 2010 à luz das recomendações do Grupo de Washington. Rio de Janeiro: IBGE, 2018. Disponível em: https://ftp.ibge.gov.br/Censos/Censo_Demografico_2010/metodologia/notas_tecnicas/nota_tecnica_2018_01_censo2010.pdf. Acesso em: 15 ago. 2023.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional de Saúde 2019. Rio de Janeiro: IBGE, 2021. Disponível em: https://www.pns.icict.fiocruz.br/wp-content/uploads/2021/12/liv101846.pdf. Acesso em: 15 ago. 2021.

IMBERÓN, Francisco. Formação permanente do professorado: novas tendências. São Paulo: Cortez, 2013.

MOURA, Maria Cecília de; VERGAMINI, Sabine Antonialli Arena; CAMPOS, Sandra Regina Leite de (org.). Educação para surdos: práticas e perspectivas. São Paulo: Santos Editora, 2008.

NASCIMENTO, Henrique. Educação de surdos: entenda os desafios no Brasil. UNINASSAU, [s. l.], 23 abr. 2018. Disponível em: https://www.uninassau.edu.br/noticias/educacao-de-surdos-entenda-os-desafios-no-brasil. Acesso em: 17 ago. 2023.

OLIVEIRA, Gilvan Müller de. Declaração Universal dos Direitos Linguísticos: novas perspectivas em política linguística. São Paulo: IPOL/ABL/Mercado de Letras, 2003.

PERUGINI, Priscilla. A melhoria da qualidade do ensino-aprendizagem de alunos surdos: contribuições freireanas. 2021. 126 f. Dissertação (Mestrado em Educação: Currículo) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2021.

SANTIAGO, Maria Eliete. Ser professor/professora: convivência ética, respeitosa e crítica. Revista de Educação, São Paulo, v. 144, p. 56-61, 2007.

SÃO PAULO (Município). Decreto no 52.785, de 10 de novembro de 2011. Cria as Escolas Municipais de Educação Bilíngue para Surdos. São Paulo: Casa Civil do Gabinete do prefeito, [2011]. Disponível em: https://legislacao.prefeitura.sp.gov.br/leis/decreto-52785-de-10-de-novembro-de-2011. Acesso em: 21 ago. 2023.

SAUL, Alexandre. Para mudar a prática da formação continuada de educadores: uma pesquisa inspirada no referencial teórico-metodológico de Paulo Freire. 2015. 207 f. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.

SAUL, Ana Maria. Formação permanente de educadores na cidade de São Paulo. Revista da Associação Nacional de Educação, São Paulo, v. 12, p. 63-68, 1993.

SAUL, Ana Maria. Paulo Freire na atualidade: legado e reinvenção. e-Curriculum, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 9-34, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.23925/1809-3876.2018v16i4p1142-1174

SAUL, Ana Maria; SAUL, Alexandre. Educação Permanente. In: STRECK, Danilo Romeu; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime José (org.). Dicionário Paulo Freire. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2018a. p. 169-170.

SAUL, Ana Maria; SAUL, Alexandre. Uma trama conceitual centrada no currículo inspirada na pedagogia do oprimido. e-Curriculum, São Paulo, v. 16, n. 4, p. 1142-1174, out./dez. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.23925/1809-3876.2018v16i4p1142-1174

SHOR, Ira. Empowering Education: critical teaching for social change. Chicago: The University of Chicago Press, 1992.

SILVA, António Gouvêa da. A construção do currículo na perspectiva popular crítica: das falas significativas às práticas contextualizadas. 2004. 404 f. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004.

SOARES, Maria Aparecida Leite. A educação do Surdo no Brasil. Campinas: Autores Associados, 1999.

SOUZA, Regina Maria de. Que palavra que te falta?: o que o surdo e sua lingua(gem) de sinais tem a dizer à linguística e à educação. 1996. 350 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

VIEIRA, Maria Inês da Silva. O efeito do uso de sinais na aquisição de linguagem por crianças surdas filhas de pais ouvintes. 2000. 142 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2000.

ZEICHNER, Kenneth. La formación del profesorado y la lucha por la justicia social. Madrid: Morata, 2010.

ZITKOSKI, Jaime José. Diálogo/Dialogicidade. In: STRECK, Danilo Romeu; Redin, Euclides; ZITKOSKI, Jaime José (org.). Dicionário Paulo Freire. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2018a. p. 140-141.

Downloads

Publicado

15/09/2023
Métricas
  • Visualizações do Artigo 185
  • pdf downloads: 138

Como Citar

PERUGINI, P.; SAUL, A. M. A melhoria da qualidade do ensino-aprendizagem de alunos surdos: contribuições da pedagogia de Paulo Freire: Improving the quality of teaching and learning for deaf students: contributions from Paulo Freire’s pedagogy . Revista Cocar, [S. l.], v. 19, n. 37, 2023. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/7489. Acesso em: 17 jun. 2024.