Políticas de avaliação e os organismos internacionais: uma relação necessária?

Autores

  • Micheli Bordoli Amestoy micheliamestoy@gmail.com
  • Luiz Caldeira Brant de Tolentino-Neto lcaldeira@smail.ufsm.br

Resumo

Evaluation policies and international organizations: a required relationship?

Resumo

Este artigo de abordagem qualitativa tem como objetivo discutir as relações estabelecidas entre as políticas de avaliação no Brasil e os organismos internacionais, além de traçar apontamentos e possibilidades sobre possíveis razões para as disparidades entre os índices do IDEB nos anos iniciais e finais do ensino fundamental. Este trabalho é resultado de uma pesquisa de doutorado e caracteriza-se por ser documental e bibliográfico.  Evidencia-se a influência dos organismos internacionais nas políticas de avaliação brasileira. Destaca-se o forte papel da OCDE como organismo transnacional - interferindo nas políticas nacionais - e produtor de uma transformação e uniformização do conceito de qualidade educativa.

Palavras-chaves: Políticas de avaliação. Organismos internacionais. OCDE.

 

Abstract

This qualitative approach article aims to discuss the relationships established between evaluation policies in Brazil and international organizations, as well as outline notes and possibilities on possible reasons for the disparities between IDEB indices in the early and late years of elementary school. This work is the result of a doctoral research and is characterized by being documentary and bibliographic. The influence of international organizations on Brazilian evaluation policies is evidenced. We highlight the strong role of the OECD as a transnational body - interfering in national policies - and producing a transformation and standardization of the concept of educational quality.

Keywords: Evaluation Policies. International organizations. OECD.

 


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Micheli Bordoli Amestoy

Licenciada e Bacharel em Ciências Biológicas (UFSM). Mestra e Doutora em Educação em Ciências (UFSM). Atualmente é Pós-Doutoranda do Programa Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde (PPGECQVS/UFSM). Colaboradora no Grupo de Pesquisa IDEIA - Educação em Ciências/ UFSM.

E-mail: micheliamestoy@gmail.com         Orcid: http://orcid.org/0000-0002-5687-5311

Luiz Caldeira Brant de Tolentino-Neto

Doutor em Educação (FEUSP), Mestre em Ensino de Ciências (FEUSP), bacharel e licenciado em Ciências Biológicas (IBUSP) pela Universidade de São Paulo. Professor do Departamento de Metodologia do Ensino do Centro de Educação da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Coordenador do Grupo de Pesquisa IDEIA - Educação em Ciências/ UFSM.

E-mail: lcaldeira@smail.ufsm.br                  Orcid: http://orcid.org/0000-0001-6170-1722

Downloads

Publicado

29/03/2020
Métricas
  • Visualizações do Artigo 200
  • PDF downloads: 259

Como Citar

AMESTOY, M. B.; TOLENTINO-NETO, L. C. B. de. Políticas de avaliação e os organismos internacionais: uma relação necessária?. Revista Cocar, [S. l.], v. 14, n. 28, p. 824–837, 2020. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/3152. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)