Adaptação do jogo de dominó nas modalidades analógica e digital como recurso de Tecnologia Assistiva a um estudante com paralisia cerebral

Adaptation of the dominoes game in analog and digital modalities as an Assistive Technology resource for a student with Cerebral Palsy

Autores

Palavras-chave:

Educação Especial, Tecnologia Assistiva, Jogo

Resumo

O uso de jogos digitais e analógicos tem sido uma opção favorável ao acesso, participação e aprendizagem como forma lúdica de intervir com o público-alvo da Educação Especial. Para tal, objetivou-se adaptar um modelo metodológico do jogo dominó, nos modos analógico e digital, com intuito de produzir recurso de Tecnologia Assistiva a um estudante com paralisia cerebral. A coleta de dados deste estudo de caso ocorreu com a adaptação do recurso e das estratégias do jogo. A coleta e análise consideraram as filmagens e notas de campo, sobre as características e classificações motoras do participante. Concluiu-se que os modelos de adaptações do jogo de dominó nos modos analógico e digital podem ser considerados um recurso de Tecnologia Assistiva na medida em que o estudante adquiriu autonomia para sua jogabilidade e, consequentemente, sua funcionalidade, aprendizagem e independência.

Palavras-chave: Educação Especial; Tecnologia Assistiva; Jogo.

 

Abstract

The use of digital and analog games represents a favorable option to provide access, participation, and learning through a playful way of intervening with the target audience of Special Education. To this end, the objective was to adapt a methodological model of the dominoes game, in analog and digital media, with the aim of producing Assistive Technology resources for a student with cerebral palsy. Data collection for this case study occurred through the adaptation of the game's resources and strategies. The collection and analysis considered the filming, field notes on the participant's characteristics, and motor classifications. It was concluded that the adaptation models of the dominoes game in analog and digital media can be considered an Assistive Technology resource, as the student acquired autonomy in their gameplay and, consequently, their functionality, learning, and independence.

Key-words: Special education; Assistive Technology; Game.

 

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manoel Osmar Seabra Junior, FCT/Unesp

Livre Docente na Universidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudente/SP - Brasil.  E-mail: m.seabra@unesp.br. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-8429-2180

Simone Pinto Ferreira, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Ciências e Tecnologia.

Doutoranda e Mestre em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação Stricto Sensu na Universidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudente/SP - Brasil. E-mail: simone.ferreira@unesp.br. Orcid: https://orcid.org/0000-0003-3661-8024

Referências

Assis, K. C. R.; Reis. L. S.; Batista, M. J.; Souza, N.; Mota, R, S. Desenvolvimento de um mouse trackball de baixo custo. Anais do Seminário Tecnologias Aplicadas a Educação e Saúde, 2019. p. 116-124. Disponível em: <https://www.revistas.uneb.br/index.php/staes/article/view/8217>. Acesso em: 17 de jan de 2023.

Braccialli, L. M. P.; Almeida, V. A.; Silva, F. C. T. Silva, M. Z. Video- game na escola e na clínica. Journal of Research in Special Educational Needs. v.16. 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Diretrizes de Atenção à Pessoa com Paralisia Cerebral. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 75 p.

Copley, J.; Ziviani, J. Barriers to the use of assistive technology for children with multiple disabilities. Occupational Therapy International, v.11, n.4, p.229-43, 2004. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15771212> . Acesso em 10 de jun. 2023.

Corrêa, A. G. D.; Monteiro, C. B. M.; Silva, T. D.S.; Lima-Alvares, C. D.; Fichemam, I.K.; Lopes, R. D. Realidade virtual e jogos eletrônicos. In: MONTEIRO, C. B. M. SILVA (Org.). Realidade virtual na Paralisia Cerebral. São Paulo: Plêiade, 2011. p. 65-94.

Cury, V. C. R.; Brandão, M. B. (2011). Tecnologia Assistiva. In V. C. R. Cury, & M. B. Brandão, Reabilitação em Paralisia Cerebral (p. 247-282). Rio de Janeiro: Medbook.

Eliasson, A. C.; Krumlinde-Sundholm, L.; Rosblad, B.; Beckung, E. Arner, M.; Ohrvall, A. M. The Manual Ability Classification System (MACS) for children with cerebral palsy: scale development and evidence of validity and reliability Developmental Medicine and Child Neurology 2006 v.48 p.549-554.

Fachinetti, T. A.; Gonçalves, A. G.; Lourenço, G. F. Processo de Construção de Recurso de Tecnologia Assistiva para Aluno com Paralisia cerebral em Sala de Recursos Multifuncionais. Revista Brasileira de Educação Especial, v.23, n.4, p.547-562, 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-65382017000400547&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 09 de jun. 2023.

Gonçalves, A. G. Desempenho motor de alunos com Paralisia Cerebral frente à adaptação de recursos pedagógicos. Tese (Doutorado) 168f. Universidade Estadual Paulista, Unesp, FFC, Marília/SP, 2010.

ISO 9999. (2007). Produtos de apoio às pessoas com deficiência: classificação e terminologia. Disponível em: http://www.ifap.ru/ictdis/iso001.pdf . Acesso em: 06 dez. 2021.

Krause, K. G.; Hounsell, M. S.; Gasparini, I. Aplicações de jogos digitais nas funções executivas: um mapeamento sistemático da literatura. XVII SBGames – Foz do Iguaçu – PR – Brazil, october 29 th – november 1 st, 2018. Disponível em: <http://www.sbgames.org/sbgames2018/files/papers/ArtesDesignFull/188387.pdf>. Acesso em: 11 de jun. de 2023.

Manzini, E. J. Deliberato, D. Portal de ajudas técnicas: equipamento e material pedagógico para educação – recursos adaptados II. Brasília: ABPEE/MEC/SEESP, 2007.

Organização Mundial De Saúde. Organização Panamericana De Saúde. CIF: Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2015.

Organização das Nações Unidas [ONU]. 2006a. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Doc. A/61/611, Nova Iorque, 13 dez.

Palisano, R.; Rosenbaum, P.; Bartlett, R. D.; Livingston, L. Sistema De Classificação Da Função Motora Grossa Ampliado E Revisto – GMFCS – E & R. Versão brasileira. Traduzido por Silva, D. B. R.; Pfeifer, L. I.; Funayama, C. A.R. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, USP, 2007. 6 p.

Ramos, D. K.; Knaul, A. P.; R.Rocha, A. Jogos analógicos e digitais na escola: uma análise comparativa da atenção, interação social e diversão. Revista Linhas. Florianópolis, v. 21, n. 47, p. 328-354, set./dez. 2020.

Ramos, D. k.. Jogos cognitivos eletrônicos: contribuições à aprendizagem no contexto escolar. Ciênc. cogn., Rio de Janeiro , v. 18, n. 1, p. 19-32, abr. 2013 . Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1806-58212013000100002>. acessos em 01 dez. 2023.

Rosenbaum, P.; Paneth, N.; Leviton, A.; Goldstein, M.; Bax, M. A report: The defniton and classifcaton of cerebral palsy. SHIVES, L. R. Infant, Child and Adolescent Clients. In: Basic Concepts of PsychiatricMental Health Nursing. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2007. p 457-487.

Silva, F. C. T.; Braccialli, L. M. P. Exergames como recurso facilitador da participação de aluno com deficiência física nas aulas de educação física. Rev. COCAR, Belém, v.11. n.21, p. 184-208 – Jan./Jul.2017.

SEABRA JUNIOR, M. O. Tecnologia Assistiva em face dos estudos com jogos analógicos e de realidade virtual para o treino das funções executivas de estudantes público-alvo da Educação Especial. 2022. 280p. Tese (Livre Docência) - Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2022. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/239025> . Acesso em: 01 fev. 2024.

Seabra Junior, M. O; Felicio, F. A. S.; Rodrigues, V.; Santos, T. M. S. Recurso De Tecnologia Assistiva Para Estudantes Com Paralisia Cerebral: o jogo da velha como modelo metodológico. Colloquium Humanarum, [S.L.], v. 15, n. 2, p. 546-553, 1 dez. 2018. Associacao Prudentina de Educacao e Cultura (APEC). Disponível em: <http://dx.doi.org/10.5747/ch.2018.v15.nesp2.001151>. Acesso em 21 jan. 2023

Thomas, J. R.; Nelson, J. K.; Silverman, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

Vanzella, L. C. G. O jogo da vida: usos e significações. Tese de doutorado. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2009.

Wobbrock, J. O.; Myers, B. A. Trackball text entry for people with motor. Chi 2006 Proceedings, Montréal, Québec, Canadá, p. 479-488, abr./2006. Disponível em: <https://faculty.washington.edu/wobbrock/pubs/chi-06.01.pdf> . Acesso em: 20 jan. 2023.

Yin. R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3 ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Downloads

Publicado

10/07/2024
Métricas
  • Visualizações do Artigo 0
  • pdf downloads: 1

Como Citar

OSMAR SEABRA JUNIOR, M.; PINTO FERREIRA, S. Adaptação do jogo de dominó nas modalidades analógica e digital como recurso de Tecnologia Assistiva a um estudante com paralisia cerebral: Adaptation of the dominoes game in analog and digital modalities as an Assistive Technology resource for a student with Cerebral Palsy. Revista Cocar, [S. l.], v. 20, n. 38, 2024. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/8524. Acesso em: 12 jul. 2024.