Educação, crítica social e colonialismo: Rousseau e as perspectivas formativas atuais

Education, social critique and colonialism: Rousseau and current formative perspectives

Autores

Palavras-chave:

Rousseau, Educação, Colonialismo

Resumo

O nosso objetivo ao relacionar Rousseau e as novas formas de crítica social e pedagógica decorre da incorporação de uma nova variável nesse debate, que é exatamente a questão relativa ao colonialismo praticado por nações europeias, sobretudo na África e nas Américas. É que Rousseau, além de ser um autor clássico em questões de política e educação, foi o primeiro filósofo a contrariar a mentalidade iluminista que projetava a expansão mundial da ideia de razão ocidental e via nos povos originais da África e América uma espécie de déficit cultural que precisava ser superado. Para isso, o domínio sobre esses povos não poderia ser apenas físico e econômico. Era necessário que os colonizados reconhecessem a pretensa superioridade, adotando a mesma ideologia. E é aí que entra a educação como meio formador, aproximando as críticas de Rousseau e as que hoje são feitas, por exemplo, por Ramón Grosfoguel.

Palavras-chave: Rousseau; Educação; Colonialismo

 

Abstract

Our goal in relating Rousseau and the new forms of social criticism and pedagogical, results from the incorporation of a new variable in this debate, which is the question related to colonialism practiced by European nations, especially in Africa and the Americas. Rousseau, in addition to being a classic author in matters of politics and education, was the first philosopher to contradict the Enlightenment mentality that projected world expansion of the western idea of reason and saw in the original peoples of Africa and America a kind of cultural déficit that needed to be overcome. For that, the domain could not be just physical and economic. It was necessary for the colonized to recognize the alleged superiority, adopting the same ideology. Then comes education as a formative means, approaching the criticisms of Rousseau and the ones that are made today, for exemple, by Ramón Grosfoguel.

Key words: Rousseau; Education; Colonialism

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronzelene Nazaré Souza de Lima, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA

Professora de Filosofia da Escola de Aplicação da UFPA (EBTT) desde 1997. Doutoranda em Educação na Linha de Educação, Cultura e Sociedade do Programa de Pós-Graduação em Educação do Instituto de Ciências da Educação da Universidade Federal do Pará (PPGED/ ICED/ UFPA). Pesquisadora vinculada ao Grupo de Pesquisa Filosofia da Educação, Epistemologia e Formação- PAIDEIA. Mestra em Filosofia pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGFIL/ IFCH/ UERJ) 2005. Especialista em Filosofia e Ciências Humanas pelo PPGFIL do IFCH da UFPA (2001). Graduada em Filosofia (Licenciatura e Bacharelado) pela UFPA (1997). Graduada em Psicologia pela Universidade da Amazônia (Bacharelado, formação e Licenciatura) 1990. E-mail: ronzelene@gmail.com/ronzelene@ufpa.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-9438-6108.

Damião Bezerra Oliveira, Universidade Federal do Pará/Docente

Damião Bezerra Oliveira, Universidade Federal do Pará (UFPA). Doutor em Educação pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Professor na Universidade Federal do Pará (UFPA). Atua na graduação e na Pós-Graduação. E-mail: damiao@ufpa.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-8247-8803.

Referências

ADORNO, T. Educação e emancipação. São Paulo: Editora Paz e Terre, 2000.

CAMBI, F. História da pedagogia. São Paulo: Editora UNESO, 1999.

DERATHÉ, R. Le rationalisme de J-J Rousseau. Paris: Presses Universitaires de France, 1948.

GROSFOGUEL, R. “Descolonizar as esquerdas ocidentalizadas: para além das esquerdas eurocêntricas rumo a uma esquerda transmoderna descolonial”, in Contemporânea. Revista de Sociologia da UFSCar., vol. 2, n. 2, 2012. http://sistemas01b.ufscar.br/contemporanea/index.php/contemporanea/article/view/86/51.

LÉVI-STRAUSS, C. “Jean-Jacques Rousseau, fundador das ciências do homem”. In: Antropologia estrutural dois. Tradução Beatriz Perrone-Moisés. São Paulo: Cosac Naify, 2013.

_______________. O pensamento selvagem. Campinas: Papirus, 1989.

ROUSSEAU, J-J. Ouevres completes. Bibliothèque de la Pléiade. Tome III, “Du Contrat Social; Écrits polotiques”. Paris: Éditions Gallimard, 2011.

____________. Ouevres completes. Bibliothèque de la Pléiade. Tome IV, “Émile; Éducation; Morale; Botanique”. Paris: Éditions Gallimard, 2010.

____________. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

____________. Emílio ou da educação. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

____________. Carta a Christophe de Beaumont. São Paulo: Estação Liberdade, 2005.

VOLTAIRE. Cartas inglesas. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

Downloads

Publicado

24/12/2023
Métricas
  • Visualizações do Artigo 35
  • pdf downloads: 28

Como Citar

SOUZA DE LIMA, R. N.; BEZERRA OLIVEIRA, D. Educação, crítica social e colonialismo: Rousseau e as perspectivas formativas atuais: Education, social critique and colonialism: Rousseau and current formative perspectives. Revista Cocar, [S. l.], v. 19, n. 37, 2023. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/7628. Acesso em: 16 jun. 2024.