Vozes ressonantes: poesias de escritoras indígenas

Resonant voices: poetry by indigenous writers

Autores

Resumo

Este artigo apresenta leituras crítico-reflexivas de poemas de Graça Graúna, de Eliane Potiguar, de Julie Dorrico e de Aline Rochedo Pachamama, identificando-os como produções literárias indígenas de resistência, de autoafirmação identitária e de auto-histórias. Metodologicamente, é uma pesquisa bibliográfica e qualitativa. Como fundamentação teórica, utilizamos os seguintes autores: Graça (2013) Hakiy (2018), Thiél (2013, 2019), Kambeba (2018), Hall (2006), Cardoso et al. (2017), Schneider (2016) e Farias e Leal (2019). Também recorremos a algumas ideias de Testa e Albuquerque (2021),  e aos textos literários de Graúna (2019), Potiguara (2004), Dorrico (2020), Pachamama (2015). Os resultados permitem afirmar que as vozes das mulheres indígenas na literatura brasileira contemporânea são ressonantes e produzem um efeito de resistência, e, ainda, de uma perspectivação de suas auto-histórias, as quais marcam suas lutas pela emancipação e pela autoafirmação étnica. Tudo isso em vias do imbricamento oral-escrito, dos múltiplos diálogos com os diferentes saberes e de cosmovisões inspiradas em alteridades.

Palavras-chave:  Escritoras indígenas Brasileiras. Poesia Indígena. Auto-histórias.

 

Abstract

This article presents critical-reflexive readings of poems by Graça Graúna, Eliane Potiguar, Julie Dorrico and Aline Rochedo Pachamama, identifying them as indigenous literary productions of resistance, self-affirmation and self-stories. Methodologically, it is a bibliographic and qualitative research. As a theoretical basis, we used the following authors: Graça (2013) Hakiy (2018), Thiél (2013, 2019), Kambeba (2018), Hall (2006), Cardoso et al. (2017), Schneider (2016) and Farias and Leal (2019). We also resort to some ideas from Testa and Albuquerque (2021), and the literary texts of Graúna (2019), Potiguara (2004), Dorrico (2020), Pachamama (2015). The results allow us to affirm that the voices of indigenous women in contemporary Brazilian literature are resonant and produce a resistance effect, as well as a perspective of their self-stories, which mark their struggles for emancipation and ethnic self-assertion. All of this in the path of oral-written intermingling, multiple dialogues with different knowledge and worldviews inspired by otherness.

Keywords: Brazilian indigenous writers. Indigenous poetry. Self-stories.

Biografia do Autor

Simara de Sousa Muniz, Universidade Federal do Tocantins - UFT

Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Letras: Ensino de Língua e Literatura – PPGL da Universidade Federal do Tocantins /UFT/Câmpus de Araguaína. Mestre pelo PPGL-UFT/Câmpus de Araguaína. Graduada em Pedagogia (2014). Graduada em Letras (2017) é professora do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Tocantins -UNITINS, campus de Araguatins. Membra do Grupo de Pesquisas em Políticas Públicas e Gestão da Educação-PPGEE (UNITINS). Lattes: http://lattes.cnpq.br/5712970996850848. ORCID: (https://orcid.org/0000-0001-9725-1970). E-mail: simaradesousamuniz@gmail.com

Eliane Cristina Testa, Universidade Federal do Tocantins-UFT

Doutorado em Comunicação e Semiótica (PUC/SP – 2015), Mestrado em Letras pela (UEL/PR – 2002). É professora de Literatura Portuguesa do Curso de Letras, da Universidade Federal do Tocantins /UFT/ Câmpus de Araguaína. Atualmente atua no Programa de Pós-graduação em Letras: Ensino de Língua e Literatura da Universidade Federal do Tocantins (PPGL - UFT) e no Programa de Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras-UFT). Lattes: http://lattes.cnpq.br/1380068536161923. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-0863-4297. E-mail: poetisalia@gmail.com

Downloads

Publicado

01/12/2021