Descolonização filosófica a partir de Enrique Dussel

Descolonización filosófica desde Enrique Dussel

Autores

Palavras-chave:

Filosofia da Libertação; filosofias não ocidentais; decolonialidade

Resumo

O artigo parte do pressuposto de que o pensamento dusseliano oferece importantes contribuições para um estudo metafilosófico, isto é, de reconhecimento e interpretação da própria filosofia. A partir de uma pesquisa bibliográfica empreendida em obras como “Filosofías del Sur: descolonización y transmodernidad" (2017) e “Método para uma Filosofia da Libertação” (1986), demonstra a preocupação de Dussel com a necessidade de reconstruir a integridade histórico-filosófica da América Latina, através do reconhecimento de filosofias “outras”, como a dos povos indígenas e afrodescendentes. Verifica-se, nesse sentido, que o pensamento de Dussel atua na abertura de caminhos para a dignificação e humanização de povos deixados à margem do processo civilizatório ocidental. Trata-se de uma construção teórica pioneira no interior da tradição filosófica ocidental, que denuncia seus atos arbitrários e anuncia novos horizontes de(s)coloniais.

Palavras-chave: Filosofia da Libertação; filosofias não ocidentais; decolonialidade.

 

Resumen

El artículo parte del supuesto de que el pensamiento dusseliano ofrece importantes aportes al estudio metafilosófico, es decir, al reconocimiento e interpretación de la filosofía misma. A partir de uma investigación bibliográfica realizada en obras como “Filosofías del Sur: decolonización y transmodernidad” (2017) y “Método para una filosofía de la liberación” (1986), se demuestra la preocupación de Dussel por la necesidad de reconstruir la integridad histórico-filosófica de América Latina, a través del reconocimiento de “otras” filosofías, como la de los pueblos indígenas y afrodescendientes. En este sentido, se puede observar que el pensamiento de Dussel trabaja para abrir caminos para la dignificación y humanización de personas que quedaron al margen del proceso civilizatorio occidental. Se trata de una construcción teórica pionera dentro de la tradición filosófica occidental, que denuncia sus arbitrariedades y anuncia nuevos horizontes de(s)coloniales.

Palabras clave: Filosofía de la Liberación; filosofías no occidentales; decolonialidad.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dannyel Teles de Castro, UEPA

Doutor em Educação (UEPA). Realiza Estágio Pós-Doutoral no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Pará (PDPG – Amazônia Legal). E-mail: dannyeltelesdecastro@gmail.com. Orcid: https://orcid.org/0000-0003-4061-3664.

Referências

ASANTE, Molefi Kete. Afrocentricidade a teoria de mudança social. Afrocentricidade Internacional, 2014.

CABRERA, Júlio. Pensar insurgente: acerca da inconstância de um filosofar selvagem (Filosofia no Brasil numa perspectiva latino-americana). Problemata: R. Intern. Fil., v. 6 n. especial, p. 5-47, 2015.

COUTO, Felipe Fróes; CARRIERI, Alexandre de Pádua. Enrique Dussel e a Filosofia da Libertação nos Estudos Organizacionais. Cad. EBAPE.BR, v. 16, n. 4, dez. 2018.

DUSSEL, Enrique. Filosofia na América Latina: filosofia da libertação. São Paulo: Loyola, 1977.

DUSSEL, Enrique. Método para uma filosofia da libertação: superação analética da dialética hegeliana. São Paulo: Loyola, 1986.

DUSSEL, Enrique. 1492: o encobrimento do outro. A origem do mito da modernidade. Petrópolis: Vozes, 1993.

DUSSEL, Enrique. Hacia los orígenes del Occidente. Meditaciones semitas. México: Kanankil Editorial, 2012.

DUSSEL, Enrique. Filosofías del Sur: descolonización y transmodernidad. Ciudad de México: AKAL, 2017.

FORNET-BETTANCOURT, Raúl. La filosofia intercultural. In: DUSSEL, Enrique; MENDIETA, Eduardo; BOHÓRQUEZ, Carmen (org.). El pensamiento filosófico latinoamericano, del Caribe y “Latino” [1300-2000]. Ciudad de México: XXI, 2011. p.639-646.

GONZÁLEZ, Leonardo Tovar. Excurso: las fundaciones de la filosofía latinoamericana. In: DUSSEL, Enrique; MENDIETA, Eduardo e BOHÓRQUEZ, Carmen (org.). El pensamiento filosófico latinoamericano, del Caribe y “Latino” [1300-2000]. Ciudad de México: XXI, 2011. p.255-261.

KOPENAWA, Davi; ALBERT, Bruce. A queda do céu. Palavras de um xamã yanomami. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

KRENAK, Aílton. Encontros. Organização de Sergio Cohn. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2015.

KRENAK, Aílton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

KRENAK, Ailton. A vida não é útil. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

MISSIATO, Leandro. Diferença ontológica: a dicotomia humana como espaço de produção da diferença colonial. Epistemologias do Sul, v. 4, n. 1, p. 22-45, 2020.

NOGUERA, Renato. Ubuntu como modo de existir: elementos gerais para uma ética afroperspectivista. Revista da ABPN, v. 3, n. 6, nov. 2011/ fev. 2012, p.147-150.

RAMOSE, Mogobe. Globalização e Ubuntu. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010a. p. 175-220.

RAMOSE, Mogobe. A importância vital do “Nós”. Entrevista. Revista do Instituto Humanitas Unisinos, 353, ano 10, p. 3-9, 2010b.

RAMOSE, Mogobe. Sobre a legitimidade e o estudo de filosofia africana. Ensaios Filosóficos. Volume IV, outubro, p. 6-25, 2011.

REIS, Maurício de Novais. O nascimento da filosofia: discussão sobre a hipótese da pluriversalidade. Revista Humanidades e Inovação, v. 8, n. 65, p. 332-342, 2021.

WALSH, Catherine. Interculturalidad, Estado, Sociedad – Luchas (De)Coloniales de Nuestra Época. Quito: Universidad Andina Simon Bolívar; Abya Yala, 2009.

Downloads

Publicado

23/04/2024
Métricas
  • Visualizações do Artigo 214
  • pdf downloads: 258

Como Citar

TELES DE CASTRO, D. Descolonização filosófica a partir de Enrique Dussel: Descolonización filosófica desde Enrique Dussel . Revista Cocar, [S. l.], n. 24, 2024. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/8538. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Eixo 1: Expressões da Filosofia da Libertação