Percepção ambiental e avifauna: representações do ambiente escolar rural

Environmental perception and birdlife: representations of the rural school environment

Autores

Palavras-chave:

Espaço rural, Mapas mentais, Educação Ambiental

Resumo

Compondo parte de uma tese de doutorado, buscou-se uma investigação mais ampla sobre Educação Ambiental no ensino fundamental brasileiro, o presente estudo teve como objetivo geral analisar as percepções ambientais que os alunos matriculados nos anos finais do Ensino Fundamental de uma escola localizada no perímetro rural do município de Campo Grande (MS), possuem do ambiente escolar rural e do táxon das aves. Para o levantamento da percepção desses alunos foram utilizados mapas mentais.  A decodificação e a análise dos mapas mentais seguiram o aporte metodológico proposto por Kozel. Nas representações dos alunos predominaram os elementos naturais, contudo são elementos que não caracterizam as particularidades e identidade desta escola.  O elemento humano compôs apenas 16,8% dos mapas, o remanescente de Cerrado presente apenas em 5,3% das imagens, e a representação dos setores de produção corresponde a 18,3% dos mapas. Dentre os elementos da paisagem natural se destaca o táxon das aves, sua representação compôs 73% dos mapas mentais, sinalizando que as aves podem ser exploradas como temas geradoras em práticas e programas de EA. As concepções e representações dos educandos são fontes para o planejamento e elaboração de práticas pedagógicas para a educação ambiental.

Palavras-chave: Espaço rural; Mapas mentais; Educação Ambiental.

 

Abstract

Composing part of a doctoral thesis, a broader investigation was sought on Environmental Education in Brazilian middle education, the present study had the general objective of analyzing the environmental perceptions that students enrolled in the final years of middle education of a school located on the perimeter of the municipality of Campo Grande (MS), have about the rural school environment and the taxon of birds. To survey the perception of these students, mental maps were used. The decoding and analysis of mental maps followed the methodological approach proposed by Kozel. In the students' representations, natural elements predominated, however, they are elements that do not characterize the particularities and identity of this school. The human element made up only 16.8% of the maps, the Cerrado remnant was present in only 5.3% of the images, and the representation of production sectors corresponded to 18.3% of the maps. Among the elements of the natural landscape, the bird taxon stands out, its representation made up 73% of the mental maps, signaling that birds can be explored as generating themes in EE practices and programs. Students' conceptions and representations are sources for planning and developing pedagogical practices for environmental education.

Keywords: Rural space; Mental maps; Environmental education.

 

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosiane de Morais, Universidade Anhangera-Uniderp

Graduação em Ciências Biológicas pela UNIDERP (2005), especialista em Planejamento e Gestão Ambiental (2009) e Gestão Escolar, Doutora em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional / 2021(Ciências Ambientais), Mestrado Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional pela Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (2010). Atualmente professora na Escola Municipal Gov. Arnaldo Estevão de Figueiredo. Professora no Programa de Pós-Graduação em Mestrado de Ensino de Ciências e Matemática, da Universidade Anhangera-Uniderp. Possui experiência na área de Ensino e produção de material didático, com ênfase em Educação Ambiental e Sustentabilidade Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Ambiental, Desenvolvimento Sustentável, Educação Científica e metodologia científica.

E-mail: morais.rosiane@gmail.com/ Orcid: https://orcid.org/0000-0003-3015-6914

 

Neiva Maria Robaldo Guedes, Universidade Anhangera-Uniderp

Neiva M. R. Guedes, graduação em Ciências Biológicas pela UFMS (1987) e mestrado em Ciências Florestais pela ESALQ/USP (1993), doutorado em Ciências Biológicas (Zoologia) pela UNESP/Botucatu (2009). É professor titular do Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional da Universidade Uniderp (www.uniderp.br). É presidente do Instituto Arara azul (www.institutoararaazul.org.br). Participa das linhas de Pesquisas: Sociedade, Ambiente e Desenvolvimento Regional Sustentável e Uso e Conservação da Biodiversidade do Pantanal e do Cerrado, com pesquisadores do PPG MDR da Uniderp. Promove e coordena atividades de educação e sensibilização ambiental com crianças e estudantes. Estimula o Turismo Científico e Pedagógico, bem como a ciência cidadã envolvendo os moradores nas atividades de conservação da natureza. É consultora técnica e apoia o Programa de Conservação da Arara-azul- de-lear na Bahia e o Programa de Reintrodução da Ararinha na Natureza.

E-mail: guedesneiva@gmail.com / Orcid: https://orcid.org/0000-0002-2887-133X

Luciana Paes de Andrade, Universidade Anhangera-Uniderp

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (1997) e em Administração (2021) pela Universidade Anhanguera-Uniderp, mestrado em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (2001) e doutorado em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo Paulo (2007). Atualmente é professora titular da Universidade Anhanguera-Uniderp, atuando no Curso de Medicina. Coordena o Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática, sendo Docente do mesmo Programa e também o Mestrado em Ensino de Ciências e Saúde da UNIAN. É Coordenadora da Comissão de Ética no Uso de Animais da Anhanguera Educacional. Participa como membro do Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Uniderp.

E-mail:  luciana.andrade@cogna.com.br/ Orcid: https://orcid.org/0000-0002-9531-9449

 

Referências

ABDO, R. F.; NOGUEIRA, A. X.; BRUM, E.; ALVES, G. L. Mapas mentais e percepção ambiental de crianças Pantaneiras da região de Aquidauana. In: BRUM, E.; OLIVEIRA, A. K. M.; FAVERO, S. (Orgs.). Meio Ambiente e Produção Interdisciplinar. Campo Grande: Editora Uniderp, 2006. p. 87-97.

AIRES, B. F. C.; BASTOS, R. P. Representações sobre meio ambiente de alunos da educação básica de Palmas (TO). Ciência & Educação, Bauru, v. 17, n. 2, p. 353-364, 2011.

ARCHELA, R. S.; GRATÃO, L. H. B.; TROSTDORF, M. A. S. O lugar dos mapas mentais na representação do lugar. Geografia, Londrina, v. 13, n. 1, p. 127-141, 2004.

BASEGGIO, K. R.; VARGAS, I. A.; ZONON, A. M. Uso de mapas mentais em sala de aula: uma análise de representações sobre o meio ambiente. In: Encontro Pesquisa em Educação Ambiental Rio de Janeiro, 8, 2015, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: EPEA, 2015. p. 1-12.

BENITES, M.; MAMEDE, S.; SEVERO-NETO, F.; FONTOURA, F. M.; PIVATTO, M. A. C.; HATTORI, H.; ILHA, I. M. N. Guia de Aves de Campo Grande: áreas verdes. 2ed. Campo Grande: ABF, 2021. 133p.

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 9,394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial (da) República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 de dezembro de 1996.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Resolução CNE/CP nº 2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Diário Oficial (da) República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 18 de junho de 2012.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental - introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1998. 174p.

CALDART, R. Elementos para construção do Projeto Político e Pedagógico da Educação do Campo. In: MOLINA, M. C.; JESUS, S. M. S. A. (Orgs.). Contribuições para a construção de um Projeto de Educação do Campo. Brasília: Articulação Nacional por uma Educação do Campo, 2005. p. 13–52.

COSTA, R. G. A. Observação de aves como ferramenta didática: algumas considerações pedagógicas. Atualidades Ornitológicas, Ivaiporã, n. 137, 2007. p. 4-7.

FERREIRA, Y. N.; CROZARA, M. S. A construção da imagem do diabo na literatura infantil: uma leitura do conto "O bom diabo", de Monteiro Lobato. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 19, n. 52, p. 274-287, 2018.

KOZEL, S. Comunicando e Representando: Mapas Como Construções Socioculturais. In: SEEMANN, J. (Org.). A Aventura Cartográfica: Perspectivas, pesquisas e reflexões sobre a cartografia humana. Fortaleza: Editora Expressão, 2006. p.131-149.

KOZEL, S. Das imagens às linguagens do geográfico: Curitiba a “capital ecológica”. Curitiba: Editora UFPR, 2019. 174p.

KOZEL, S. (Org.). Mapas mentais: dialogismo e representações. Curitiba: Editora Appris, 2018. 271p.

KOZEL TEIXEIRA, S. “Das imagens às linguagens do geográfico: Curitiba a Capital ecológica”. São Paulo:FFLCH/USP,2001. (tese de doutorado).

LEFF, E. Epistemologia Ambiental. 3 eds. São Paulo: Cortez, 2002.

LEFF, E. Epistemologia Ambiental. 3ed. São Paulo: Cortez, 2011. 240p.

LIMA, G. F. C. Crise ambiental, educação e cidadania: os desafios da sustentabilidade emancipatória. In: LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S; LOUREIRO, C. F. B. (Orgs.) Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 2002. p. 1-23

LOUREIRO, C. F. B. O movimento ambientalista e o pensamento crítico: uma abordagem política. Rio de Janeiro: Quartet, 2006. 159p.

LOUREIRO, C. F. B. Complexidade e dialética: contribuições à práxis política e emancipatória em educação ambiental. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 93, p. 1473-1494, 2005.

LOUREIRO, C. F. Trajetórias e Fundamentos da Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2004.

MALANSKI, L. M.; KOZEL, S. Representação do espaço escolar a partir de mapeamento coletivo: uma abordagem da geografia humanista. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 9, n. 2, p.154-169, 2015.

MARCZWSKI, M. Avaliação da percepção ambiental em uma população de estudantes do ensino fundamental de uma escola municipal rural: um estudo de caso. 2006. 188f. Dissertação (Mestrado em Ecologia) — Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

MARQUES, J. G. W. Pescando pescadores: etnoecologia abrangente no baixo São Francisco alagoano. São Paulo: NUPAUB-USP, 1995. 285p.

MORAIS, R.; GUEDES, N. M. R.; ANDRADE, L. P.; FAVERO, S. Observação de aves como estratégia didática na Educação Ambiental em uma escola do campo. ACTIO, Curitiba, v. 6, n. 1, p. 1-17, 2021.

PEDRINI, A.; COSTA, E. A.; GHILARDI, N. Percepção ambiental de crianças e pré-adolescentes em vulnerabilidade social para projetos de educação ambiental Socially vulnerable children and pre-adolescents. Ciência & Educação, Bauru, v. 16, n. 1, p. 163-179, 2010.

PETCHENIK, B. B. Cognição em cartografia. Geocartografia - Textos Selecionados de Cartografia Teórica. São Paulo, n. 6, 1995. p. 3-15.

ROSA, M. A. Desafios da Educação Ambiental nas Escolas do Campo. Cadernos de Pesquisa Pensamento Educacional, Curitiba, v. 10, n. 26, p. 258-276, 2015.

SANTANA, A. B. Sequência didática: uso de mapas mentais e mapas conceituais no auxílio à aprendizagem significativa do conceito de velocidade média, com foco na alfabetização científica. 2019. 82f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Física) — Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.

SANTOS, W. A.; SARTORELLO, R. Percepção e paisagem no cotidiano de escolas inseridas em paisagens rurais e urbanas. Ciência & Educação, Bauru, v. 25, n. 4, p. 911-926, 2019.

SCHWARZ, M. L.; SEVEGNANI, L.; ANDRÉ, P. Representações da Mata Atlântica e de sua biodiversidade por meio dos desenhos infantis. Ciência & Educação, Bauru, v. 13, n. 3, p. 369-388, 2007.

SIMÕES NETO, J. C.; ALVES, R. R. S.; ROCHA, A. M. Representações de práticas corporais no meio ambiente por jovens a partir de mapas mentais. Revista Biomotriz, Cruz Alta, v. 13, n. 2, p. 39-48, 2019.

TELLES, C. A.; SILVA, G. L. F. Relação criança e meio ambiente: avaliação da percepção ambiental através da análise do desenho infantil. Revista TechnoEng, Ponta Grossa, v. 1, n. 6, p. 1-26, 2012.

TORRES, D. F.; OLIVEIRA, E. S. Percepção ambiental: instrumento para educação ambiental em unidades de conservação. REMEA: Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v. 21, p. 227-235, 2012.

TORRES JUNIOR, E. U.; VALENÇA-MONTENEGRO, M. M.; CASTRO, C. S. S. Percepção ambiental de crianças sobre primatas por meio de mapas mentais: subsídios para Educação Ambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 13, n. 2, p. 294-307, 2018.

TOZONI-REIS, M. F. C. Temas ambientais como "temas geradores": contribuições para uma metodologia educativa ambiental crítica, transformadora e emancipatória. Educar em Revista, Curitiba, v. 22, n. 27, p. 93-110, 2006.

TUAN, Y-F. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: Editora Edual, 2012. 342p.

WILSON, E. O.; KELLERT, S. R. The Biophilia Hypothesis. Washington: Island Press, 1993. 484p.

ZACARIAS, R. Consumo, lixo e educação ambiental. Juiz de Fora: Editora FEME, 2000. 88p.

Downloads

Publicado

11/03/2024
Métricas
  • Visualizações do Artigo 76
  • pdf downloads: 121

Como Citar

DE MORAIS, R.; ROBALDO GUEDES, N. M.; PAES DE ANDRADE, L. Percepção ambiental e avifauna: representações do ambiente escolar rural: Environmental perception and birdlife: representations of the rural school environment . Revista Cocar, [S. l.], n. 23, 2024. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/7941. Acesso em: 19 jul. 2024.