Depois que o sinal toca: uma reflexão da distribuição socioespacial da violência nas escolas brasileiras (2009-2018)

Después de que suene la campana: una reflexión sobre la distribución socioespacial de la violencia en las escuelas brasileñas (2009-2018)

Autores

  • Carlos Alberto Travessa Júnior ctravessajunior@gmail.com
    Universidade Federal de Ouro Preto, Programa de Pós-graduação em Educação, Campus universitário, Mariana, MG https://orcid.org/0000-0001-8147-5937
  • Luciana Karen Calábria lkcalabria@ufu.br
    Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal, Ituiutaba, MG, Brasil https://orcid.org/0000-0002-0500-0232

Resumo

No Brasil, dentro e fora das escolas, a violência é uma problemática pertinente; contudo, dois fatores tornam intrigante sua manifestação nesta instituição: 1) a centralidade da escolarização na formação social da população e 2) as diferenças conjunturais das ocorrências em dimensões continentais. Posto isso, a partir de método misto, este ensaio propõe-se a descrever e refletir a distribuição geográfica das notificações de violência nas escolas brasileiras entre 2009 e 2018, registradas nos serviços de saúde. Os dados analisados revelam que as notificações de violência nas escolas do Brasil aumentaram cerca de nove vezes em dez anos, apontando o estado de São Paulo e a região Sudeste como epicentro dessas notificações; num possível resultado de diferentes condições socioespaciais, como a urbanização e as desigualdades, que cotidianamente embalam a vida escolar nos diferentes lugares.

Palavras-chave: Notificação de violência; Educação brasileira; SINAN.

 

Resumen

En Brasil, dentro y fuera de las escuelas, la violencia es un tema pertinente, sin embargo, dos factores hacen intrigante la manifestación del fenómeno en esta institución: 1) la centralidad de la escolarización en la formación social de una población e 2) las diferencias que rodean las ocurrencias en dimensiones continentales. Así, utilizando método mixto, este ensayo tiene como objetivo describir y reflejar la distribución geográfica de las notificaciones de violencia en las escuelas brasileñas entre 2009 y 2018, registradas en los servicios de salud. Los datos analizados revelan que las notificaciones de violencia en las escuelas de Brasil aumentaron unas nueve veces en diez años, apuntando al estado de São Paulo y la región Sudeste, como el epicentro de estas notificaciones, en un posible resultado de diferentes condiciones socioespaciales, como la urbanización y las desigualdades, que influyen en la vida escolar en diferentes lugares.

Palabras clave: Notificación de violencia; Educación brasileña; SINAN.

             

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Alberto Travessa Júnior, Universidade Federal de Ouro Preto, Programa de Pós-graduação em Educação, Campus universitário, Mariana, MG

Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Uberlândia. Mestrando em Educação no Programa de Pós-Graduação em Educação pela Universidade Federal de Ouro Preto. Orcid: https://orcid.org/0000-0001-8147-5937. E-mail: ctravessajunior@gmail.com.

Luciana Karen Calábria, Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal, Ituiutaba, MG, Brasil

Bióloga, Mestre e Doutora em Genética e Bioquímica. Docente no Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal da Universidade Federal de Uberlândia, Campus Pontal. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-0500-0232. E-mail:lkcalabria@ufu.br.

Downloads

Publicado

12/02/2024
Métricas
  • Visualizações do Artigo 118
  • pdf downloads: 156

Como Citar

TRAVESSA JÚNIOR, C. A.; CALÁBRIA, L. K. Depois que o sinal toca: uma reflexão da distribuição socioespacial da violência nas escolas brasileiras (2009-2018): Después de que suene la campana: una reflexión sobre la distribución socioespacial de la violencia en las escuelas brasileñas (2009-2018). Revista Cocar, [S. l.], v. 20, n. 38, 2024. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/7029. Acesso em: 12 jul. 2024.