Educação para relações étnico-raciais na constituição curricular da Licenciatura em Química no Ceará: que cor tem a formação de professores(as)?

La educación para las relaciones étnico-raciales en la constitución curricular del grado en Química en Ceará/Brasil: ¿qué color tiene la formación del profesorado?

Autores

Resumo

O estudo investiga a educação para as relações étnico-raciais em cursos de Licenciatura em Química do estado do Ceará, a partir das Leis nº 10.639/2003 e nº 11.645/2008. Pautado na abordagem qualitativa, recorreu-se à análise documental dos Projetos Pedagógicos de 13 Cursos ofertados por instituições públicas cearenses. Os resultados revelam que a inclusão da temática em pauta nos cursos investigados é um desafio, considerando as influências do pensamento ocidental, colonial e eurocêntrico nesta área do conhecimento, traduzidos na racionalidade técnica e na reprodução de um pensamento único, que nega a diversidade étnico-cultural e epistemológica de pessoas negras e indígenas. A superação dessa herança histórica depende do envolvimento coletivo para a valorização, nos projetos pedagógicos, das culturas e identidades, numa perspectiva antirracista para a formação docente em Química.

Palavras-chave: Relações étnico-raciais; Formação docente; Licenciatura em Química.

 

Resumen

El estudio investiga la educación para las relaciones étnico-raciales en grados de Química en el estado de Ceará/Brasil, con base en las Leyes nº 10.639/2003 y nº 11.645/2008. Con base en el enfoque cualitativo, se utilizó el análisis documental de los Proyectos Pedagógicos de 13 Cursos ofrecidos por instituciones públicas en Ceará. Los resultados revelan que la inclusión del tema en cuestión en los cursos investigados es un desafío, considerando las influencias del pensamiento occidental, colonial y eurocéntrico en esta área del conocimiento, traducida en racionalidad técnica y en la reproducción de un pensamiento único, que niega la diversidad étnica, los aspectos culturales y epistemológicos de los pueblos negros e indígenas. La superación de este patrimonio histórico pasa por la implicación colectiva en la valoración, en proyectos pedagógicos, culturas e identidades, en una perspectiva antirracista para la formación docente en Química.

Palavras-chave: Relaciones étnicos-raciales; Formación docente; Graduación de química.

Biografia do Autor

Wanderson Diogo Andrade da Silva, Universidade Regional do Cariri

Doutorando em Educação (UFMG), Mestre em Educação (UFC), Licenciado em Química (IFCE) e em Pedagogia (UNINTER). É professor substituto do Departamento de Química Biológica da Universidade Regional do Cariri (URCA). E-mail: wandersondiogo@hotmail.com. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-9583-0845.

 

Elisângela André da Silva Costa, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)

Pós-doutorado em Educação (USP), Doutora em Educação (UFC) e Mestra em Educação (UECE). Licenciada em Letras (UFC) e em Pedagogia (FAEPI). É professora adjunta do Instituto de Ciências Exatas e da Natureza (ICEN) da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB) e professora permanente do PPGE (UECE). E-mail: elisangelaandre@unilab.edu.br. Orcid: https://orcid.org/0000-0003-0074-1637.

Bárbara Carine Soares Pinheiro, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Pós-doutoranda na Cátedra de Educação Básica (IEA/USP), Doutora e Mestra em Ensino, Filosofia e História das Ciências (UFBA/UEFS), Licenciada em Química (UFBA), e graduanda em Filosofia (UFBA). Professora adjunta e Vice-Diretora do Instituto de Química da Universidade Federal da Bahia (UFBA), sócia-fundadora e consultora pedagógica na Escola Afro-Brasileira Maria Felipa. E-mail: soarespinheirob@gmail.com. Orcid: https://orcid.org/0000-0001-6899-8485.

Downloads

Publicado

01/12/2021