Ser Tabajara: jovens indígenas vivenciando práticas de identidade étnica

Autores

  • Eliane Silva Farias eliafariass@gmail.com
  • Lilia Stevens Stevens lilia.stevens@funiber.org
  • Lusival Antonio Barcellos lusivalb@gmail.com

Resumo

Being tabajara: young people indigenous peoples living ethnic identity practices

Resumo

Este artigo versa sobre as práticas identitárias, vivenciadas pelos jovens indígenas do povo Tabajara da Paraíba nos tempos atuais. Tem como objetivo expor o Projeto da Mata em Pé, tomando-se como contraponto as ações educativas desenvolvidas, por meio de trilhas, pescarias e oficinas empregadas com os jovens pelos líderes como elementos cooperadores para o fortalecimento da identidade e revitalização cultural. Trata-se do recorte de uma pesquisa do doutorado em Educação. O estudo tem como referencial Anastasiou (2015), Barcellos (2014) Freire (2011), dentre outros autores. A metodologia prioriza a pesquisa qualitativa, de natureza etnográfica, tendo como instrumentos à observação participante e as entrevistas. Os resultados mostram que as práticas educativas utilizadas são elementos de resistência e alteridade no processo de ensinagem e aprendizagem, em que os jovens se empoderam da sua identidade étnica na defensa dos seus direitos e da cultura, em que “ser jovem indígena Tabajara” é sinônimo de força, luta e pertencimento de um ancestral de valor.

Palavras-chave: Identidade. Práticas educativas. Ser jovem indígena.

 

Abstract

This article deals with the identity practices lived by the indigenous youth of the Tabajara people of Paraíba, in the present times. Its objective is to expose the Standing Forest Project, taking as counterpoint the educational actions developed through trails, fisheries and workshops used with young people by the leaderships as cooperative elements for the strengthening of identity and cultural revitalization. This is the cut of a doctorate research in Education. The study is based on Anastasiou (2015), Barcellos (2014), Freire (2011), among others. The methodology prioritizes the qualitative research, of ethnographic nature, having as instruments the participant observation and the interviews. The results show that the educational practices used are elements of resistance and alterity in the process of teaching and learning, where young people are empowered with their ethnic identity in defense of their rights and culture, where “being young Tabajara” is synonymous with strength, struggle and belonging of an ancestor of value.Keywords: Identity. Educational practices. Being an indigenous youth.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Eliane Silva Farias

Doutoranda em Educação pela Universidad Internacional Iberoamericana – UNINI, (México); Mestra em Ciências das Religiões pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB - 2011); Especialista em Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental (UFPB - 2004); Especialista em Organização de Arquivos (UFPB -1996); Licenciada em História pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB - 1989); com experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino Aprendizagem e Formação Docente; pesquisadora nas temáticas: educação, diversidade religiosa e etnologia indígena. 

 Orcid: http://orcid.org/0000-0002-5133-7135  E-mail: eliafariass@gmail.com

Lilia Stevens Stevens

Possui doutorado em Doctorado Curricular en Educación Superior pela Universidad de Oriente. Santiago de Cuba. Cuba (2007). Licenciada em Psicologia Geral pela Universidade de Oriente. Santiago de Cuba. Cuba (1996).  Atualmente é Orientadora da Universidad Internacional Iberoamericana –UNINI. (Puerto Rico) e UNINI(México).

Orcid: https://orcid.org/0000-0002-5266-5480  E-mail: lilia.stevens@funiber.org

Lusival Antonio Barcellos

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2005). Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (1998). Graduado em Filosofia pela Universidade Católica do Paraná (1980); Pedagogia pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Colatina-ES (1984); Teologia pelo Seminário Arquidiocesano da Paraíba Imaculada Conceição (1992). Professor Associado III, do Departamento de Ciências das Religiões (DCR); atua como professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões (PPGCR), da Universidade Federal da Paraíba. Tem experiência nas áreas de Educação, Culturas e Religião. Atua nas temáticas: diversidade cultural; culturas e desenvolvimento; etnoeducação; cotidiano, religiosidades e espiritualidades indígenas. Orcid: http://orcid.org/0000-0002-3482-0221   E-mail:  lusivalb@gmail.com

Downloads

Publicado

03/05/2020
Métricas
  • Visualizações do Artigo 302
  • PDF downloads: 212

Como Citar

FARIAS, E. S.; STEVENS, L. S.; BARCELLOS, L. A. Ser Tabajara: jovens indígenas vivenciando práticas de identidade étnica. Revista Cocar, [S. l.], v. 14, n. 29, p. 458–476, 2020. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/3388. Acesso em: 2 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos