EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ABORDAGEM EM CTSA: ESTUDO DA POTENCIALIDADE EDUCACIONAL DE PROTÓTIPO FOTOVOLTAICO EM COMUNIDADE PESQUEIRA

Português

Autores

DOI:

10.69675/RCU.2763-7646.3837

Palavras-chave:

Energia Renovável, Ciência-Tecnologia-Sociedade-Ambiente, Educação Ambiental

Resumo

As matrizes energéticas renováveis têm se mostrado um excelente tema gerador para a contextualização do ensino de ciências. Assim, este estudo tem por objetivo analisar a construção de conceitos científicos associados às matrizes solar a partir de questões socioambientais e tecnológicas com enfoque em CTSA e em Educação Ambiental. A pesquisa é de abordagem qualitativa e foi desenvolvida a partir da realização de um roteiro de atividades pedagógicas incluindo a construção de um protótipo fotovoltaico de baixo custo, contando com a participação de estudantes do 3º ano do ensino médio de uma escola pública numa comunidade pesqueira do município de Vigia - PA. Os resultados indicam a construção dos principais conceitos científicos relacionados ao tema sob a perspectiva da inovação tecnológica e da preservação ambiental numa visão regional e crítica, observados através das unidades de registro dos estudantes. Portanto, as novas possibilidades tecnológicas associadas à educação ambiental são potencialmente interessantes na escolha de estratégias pedagógicas visando o ensino e a aprendizagem de estudantes levando em consideração o seu contexto de origem, como no caso destes da comunidade pesqueira.

Biografia do Autor

José Fernando Pereira Leal, Universidade do Estado do Pará (UEPA)

Possui graduação em Licenciatura Plena em Física pela Universidade Federal do Pará (2008), mestrado em Física pela Universidade Federal do Pará (2010) e doutorado em Física pela Universidade Federal do Pará (2015). Atualmente é professor Adjunto I da Universidade do Estado do Pará e docente Permanente do Programa de Pós-graduação em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia da Universidade do Estado do Pará. Possui experiência e desenvolve pesquisa na área de Física, com ênfase em Estrutura Eletrônica de Moléculas, e, ensino de Física em sistema fotovoltaico, robótica educacional e Asttronomia. 

Erick Elisson Hosana Ribeiro, Universidade do Estado do Pará (UEPA)

Doutor em Educação para a Ciência pela UNESP - Bauru (2020). Mestre em Ensino de Ciências pelo Instituto de Educação Matemática e Científica (IEMCI/UFPA) (2013). Graduado em Física - Licenciatura pela Universidade Federal do Pará (2009). Atua como Professor Adjunto I na Universidade do Estado do Pará (2014 - Atual). Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia (PPGEECA). Membro e Pesquisador em História das Ciências na Amazônia e membro do Grupo de Estudos em Filosofia e História da Ciência (GFHC/UFPA); Grupo de Pesquisa em História da CIência na Amazônia GPHIC/UEPA; Grupo de Pesquisa em Ensino de Ciências - GPEC/UNESP. Tem experiência no ensino de Física na Educação Básica e no Ensino Superior, atuando principalmente nas seguintes áreas: História e Filosofia da Ciência, Ensino de Física, Ensino de Ciências, Ensino de Astronomia e História da Engenharia e da Astronomia na Amazônia.

Referências

ALBERGUINI, F. L. Oficinas e Feira de Ciências: experimentação e o ensino de física. 2015. 61 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Física) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, 2015.

AUSUBEL, D. P.; NOVAK, J. D.; HANESIAN, H. Psicologia educacional. Trad. Eva Nick e outros. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980, p. 85. BASSOLI, F. Atividades práticas e o ensino-aprendizagem de ciência(s): mitos, tendências e distorções. Ciência & Educação, Bauru, v. 20, n. 3, p. 579-593, 2014.

BARBOSA, J. P. V.; BORGES, A. T. O entendimento dos estudantes sobre energia no início do ensino médio. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. v. 23, n. 2: p. 182-217.Minas Gerais, 2006. Disponível m: https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/download/6275/12765. Acesso em: 14 abr. 2020.

BENEVENUTO, R. S. Os benefícios da geração de energia elétrica através do sistema fotovoltaico no estacionamento do centro de tecnologia da ufrj. 2016. 61 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/566968/CF88_EC105_livro.pdf . Acesso em: 24 nov. 2020.

BRASIL. Secretária de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Ciências Naturais. – Brasília: SEF/MEC, 1998. 138p.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Educação Ambiental: Aprendizes de sustentabilidade. Brasília: SECAD/MEC, 2007.

BRANDÃO, G. K. L. et al. Educação Ambiental na Escola: o calor da panela de pressão na economia do gás de cozinha. Educação Ambiental em Ação, v. 18, n. 69, setembro/novembro, 2019. Disponível em: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=3832. Acesso em: 12 dez 2019.

BRUMATI, K. C. A educação Ambiental no Ensino em Ciências. 2011. Monografia de Especialização. Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Medianeira, 2011. Disponível em: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/2594/1/MD_ENSCIE_2011_1_08. pdf. Acesso em: 24 nov. 2020.

CRISTHINY, G. Uso de energia solar ainda está longe do Pará. Leijá. Belém, PA, 5 nov. 2015. Disponível em: <http://bit.ly/2Y6bWnf>. Acesso em: 09 mar. 2019. DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A. Metodologia do Ensino de Ciências. São Paulo: Ed. Cortez, 1992.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Ciências: Fundamentos e métodos. São Paulo: Ed. Cortez, 2002.

DO ROSÁRIO, S. A. S.; DA SILVA, J. R.; DO ROSÁRIO, J. P. S. Educação Ambiental e Trilha Ecológica Interdisciplinar. Revista Atlante: Cuadernos de Educación y Desarrollo, set. 2018. Disponível em: <http://bit.ly/eumededucacaoambiental>. Acesso em: 09 mar. 2019.

ESPÍNULA, A. S. et al. Currículo e Sustentabilidade: Uma Análise Pertinente. Pedagogia em Ação, Belo Horizonte, v. 4, n. 1, p. 33 - 43, 2012. Disponível em: <https://is.gd/OFYd9R> Acesso em: 10 mar. 2019.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 48. reimp. São Paulo: Ed. Paz e Terra, 2009. GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa. 8. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.

LIMA, F. N. A. Diálogos e perspectivas de uma abordagem CTSA no ensino de ciências. Revista Científica Interdisciplinar, Paranaguá, v.2, n. 1, p. 28-42, 2017. LIMA

JÚNIOR, C. et al. Energia solar: Metodologia para avaliação do local de instalação de Sistema Fotovoltaico Fomentando a Educação Ambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v. 13, n. 3, p. 233-244, set. 2018.

LIMA, M. B. M.; BISPO, T. D. P.; ALENCAR, W. J. Energia Renovável: Um Assunto que Merece Destaque no Ensino de Ciências. In: Encontro de Físicos do Norte e Nordeste –RN. Natal, 2015.

LOPES, M. C.; TAQUES, F. H. O Desafio da Energia Sustentável no Brasil. Revista Cadernos de Economia, Chapecó, v. 20, n. 36, p. 71 - 96, jan – dez. 2016. Disponível em:<https://is.gd/QPfZOP>. Acesso em: 01 abr. 2019.

MARCONDES, M. E. R. et al. Materiais Institucionais numa perspectiva CTSA: Uma análise de unidades didáticas produzidas por professores de química em formação continuada. Investigações em Ensino de Ciências, Rio Grande do Sul, v. 14, n.2, p. 281 – 298, ago. 2009.

MOREIRA, M. A. A teoria da aprendizagem significativa e sua implementação em sala de aula. Brasília, DF: Editora Universidade de Brasília, 2006.

OLIVEIRA, H. G. et al. Energia, Sociedade e Meio Ambiente no Desenvolvimento de um Biodigestor: a Interdisciplinaridade e a Tecnologia Arduino para Atividades Investigativas. Química Nova Escola, São Paulo-SP, v. 40, n. 3, p. 144-152, ago. 2018.

PALACIOS, E. M. G. et al. Introdução aos estudos CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade). Organização de estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI). 2003, 168p. POZO, J. I.; CRESPO, M. Á. G. A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. 5. ed., Porto Alegre: Ed. Artmed, 2009.

QUINTANA, L. V. Las Acciones Y Los Juegos Tradicionales Didácticos, Alternativas Para Una Educación Ambiental. Revista Atlante: Cuadernos de Educación y Desarrollo, fev. 2019. Disponível em: < https://is.gd/zAyXTD>. Acesso em: 09 mar. 2019.

WROBEL, F. C. O Papel da Educação Ambiental no Estudo das Fontes Renováveis de Energia nas Escolas Brasileiras. Interfaces Científicas – Direito, Aracaju, v. 3, n. 2, p. 73 – 87, fev. 2015. Disponível em: <http://bit.ly/2OIs4Hg>. Acesso em: 10 mar. 2019.

ZAGO, R. M. Sistema de baixo custo para monitoramento da geração de energia solar com conexão para Internet das Coisas. 2018. 153 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Elétrica) - Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

ZIKMUND, W. G. Business research methods. 5. ed. Fort Worth, TX: Dryden, 2000.

Downloads

Publicado

19/05/2021
Métricas
  • Visualizações do Artigo 341
  • pdf downloads: 683

Como Citar

LEAL, J. F. P.; RIBEIRO, E. E. H.; PINTO DA COSTA, F. C. .; CHAGAS DA COSTA, K. M. .; NUNES, J. M. .; LINS PIMENTEL, W. . EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ABORDAGEM EM CTSA: ESTUDO DA POTENCIALIDADE EDUCACIONAL DE PROTÓTIPO FOTOVOLTAICO EM COMUNIDADE PESQUEIRA: Português. Revista Comunicação Universitária, Belém, v. 1, n. 1, 2021. DOI: 10.69675/RCU.2763-7646.3837. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/comun/article/view/3837. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos