Sobre a Revista

Foco e Escopo

A Revista Povos, Diversidade e Educação (PoDE) é um periódico vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação, em parceria do Departamento de Educação Especializada do Centro de Ciência Sociais e Educação na Universidade do Estado do Pará e da Rede Educação Especial do Campo. A publicação é semestral, publica artigos originais resultantes de pesquisas, revisão de literatura de pesquisas que contemplem os povos, diversidade e educação, dossiês temáticos, ensaios, entrevistas e resenhas resultantes de pesquisa nacional e internacional. Busca-se a visibilidade, acessibilidade, qualidade e impacto das produções da Revista PoDe.

A Revista aceita submissões de mestres e doutores para publicações individuais. Para publicações em coautoria, o texto deve conter no máximo 3 autores, sendo que um dos 3 deve, obrigatoriamente, possuir o título de doutor(a).

A Revista tem como missão a difusão, ampliação e consolidação do campo de estudos que envolvem os povos, a diversidade, a Educação com pesquisas que remetam: ensino-aprendizagem, formação de professores (inicial e continuada), práticas pedagógicas, currículo, avaliação, educação especial, políticas públicas, espaço físico ou virtual. As publicações, em plataforma digital, serão em português, inglês e espanhol, ou de vídeo de divulgação científica de até quinze minutos.

A Revista recebe manuscritos e os publica a cada seis meses. É um periódico científico de acesso aberto e gratuito. Não há cobrança para submissão, avaliação e publicação submetidos. As seções são: artigos, resenhas e entrevistas. Incentiva-se a organização de números especiais com o mínimo de 08 artigos, dos quais um ou mais deve ser de autores internacionais não vinculados à Universidade do Estado do Pará. A edição especial proposta pode ser enviada para o e-mail da revista.

A Revista Povos, Diversidade e Educação (PoDE) objetiva dar visibilidade às pesquisas científicas, seus critérios éticos e fortalecer a identidade institucional com possíveis diálogos entre pesquisadores de âmbito nacional e internacional pela perspectiva interdisciplinar, intercultural ou outro. Compreende-se por povos o disposto no decreto nº 6.040/2007 “grupos culturalmente diferenciados e que se reconhecem como tais, que possuem formas próprias de organização social, que ocupam e usam territórios e recursos naturais como condição para sua reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica, utilizando conhecimentos, inovações e práticas gerados e transmitidos pela tradição”. Nesta perspectiva estão os povos indígenas, os quilombolas, as comunidades tradicionais de matriz africana ou de terreiro, os extrativistas, os ribeirinhos, os caboclos, os pescadores artesanais, os pomeranos, entre outros.

Emerge a necessidade de difundir produções de todos os que se autodeclaram “diverso” e que atenda ao escopo da revista, dentre estes: pesquisadores surdos, usuários ou não da LIBRAS; pesquisadores LGBTQI+; pesquisadores quilombolas; pesquisadores indígenas; pesquisadores ribeirinhos; pesquisadores assentados; pesquisadores das águas e das florestas; pesquisadores ciganos; dentre outros, com submissão no formato de texto escrito ou apresentado em vídeo (vide Diretrizes para autores).

Processo de Avaliação pelos Pares

Os originais dos artigos, resenhas e entrevistas são encaminhados à equipe editorial da revista à qual realizará a avaliação inicial para constatação quanto às normas e escopo.  Caso aprovado nesta primeira etapa, serão enviados à apreciação de dois pareceristas integrantes do Conselho Editoria ou avaliador Ad hoc. Se houver discordância quanto aos pareceres, será encaminhado a um terceiro parecerista. O prazo varia de 03 a 06 semanas.

A avaliação será realizada no próprio portal da revista e além do manuscrito, recebem formulário padrão de avaliação no qual existe um campo aberto para a justificativa da decisão final recusando ou recomendando correções e/ou adequações necessárias aos artigos ou vídeos de comunicação científica. O avaliador também deve informar se há “conflito de interesses” ou não que deve ser enviada à equipe editorial.

Os originais poderão ser:

Aceito com recomendações – neste caso, deverá reenviá-lo em até 30 dias. Após este prazo será submetido à nova avaliação.

Recusados.

Mesmo que aprovado/aceito para ser publicado na revista e se constatado no texto, plágio, fabricação de dados e informações, autoria fraudulenta entre outras práticas de má conduta científica, o artigo será recusado e não será publicado na revista.

A Revista reserva-se o direito de não aceitar para avaliação mais de um manuscrito por autor à qual deve aguardar interstício de dois anos para nova publicação.

Periodicidade

A Revista Povos, Diversidade e Educação (PoDE) é uma publicação semestral apresentando suas edições regulares nos meses de abril e outubro. As edições de dossiê temática são sob demanda e serão publicadas após aprovação.

Integridade e Prevenção de Plágio

A Revista Povos, Diversidade e Educação (PoDE) seguirá as diretrizes de combate às más condutas expressas no COPE (Committee on publication ethics). Os autores devem acessar o portal do COPE (https://publicationethics.org/) para maiores informações.