Vivências Culturais: narrativas fantásticas das crianças ribeirinhas da Amazônia marajoara

Autores

  • SIMEI SANTOS ANDRADE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ (UFPA)

Resumo

A pesquisa objetivou analisar os sentidos das práticas culturais das crianças ribeirinhas da Vila do Piriá, Curralinho-PA, a partir de suas oralidades acerca das narrativas fantásticas que constroem sobre esse território. Foi realizada por meio de uma abordagem qualitativa baseada numa etnografia com crianças. O referencial teórico foi pautado nos Estudos Sociais da Infância destacando as narrativas fantásticas das crianças do Marajó, em diálogo com Alves (2007), Benjamin (2012), Camarani (2014), Loureiro (2000a, 2000b, 2007), Niels (2014), Todorov (2017), entre outros. Nossos interlocutores foram 25 crianças, na faixa etária de 5 a 11 anos. As conclusões mostram que as crianças têm a capacidade de dizer do seu lugar de uma maneira simples, concreta e sensível, com a predominância da cultura oral sobre a escrita, produzindo histórias que geram multiplicidades de enfoques da cultura e do lugar.

Palavras-chave: Vivências Culturais. Crianças amazônicas. Narrativas fantásticas.

Downloads

Publicado

15/07/2020