EDUCAÇÃO E DEPENDÊNCIA QUÍMICA: O FORTALECIMENTO DAS RELAÇÕES DE AFETIVIDADE NA ESCOLA COMO PROPOSTA DE PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS

Autores

  • DOUGLAS MANOEL ANTONIO DE ABREU PESTANA DOS SANTOS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Resumo

Vários indicadores mostram que o consumo de drogas tem atingido formas e proporções preocupantes no decorrer deste século, sobretudo nas últimas décadas. As consequências do uso abusivo de substâncias psicoativas são percebidas nas várias interfaces da vida social, ou seja, na família, na escola, no trabalho, na saúde, no trânsito, no aumento da criminalidade. Este artigo pretende abordar o papel do desenvolvimento da afetividade na escola como forma de construção de medidas preventivas a adesão de crianças e adolescentes ao uso das drogas, através da ação dos professores dentro das salas de aula. Não é atividade fácil afastar uma pessoa do uso de drogas psicoativas, logo a prevenção é a melhor forma de evitar a dependência química. Por entender que a fragilidade dos vínculos familiares é uma das condições que levam o jovem ao uso abusivo das drogas, e pela escola ser uma das instituições que acompanham o indivíduo ao longo de seu crescimento e desenvolvimento, pode-se apontar este ambiente como tendo um papel importante no estabelecimento de medidas capazes de resgatar muitos jovens, antes que estes iniciem no mundo das drogas. Fez-se um percurso necessário para a compreensão do espaço que as drogas ocupam na vida do ser humano ao longo dos tempos, assim como a compreensão do que é a dependência química e seu complexo reflexo na vida dos seres humanos. A vulnerabilidade aditiva foi abordada por ser uma patologia comum atualmente, que também pode levar a dependência química.  Esta pesquisa foi bibliográfica, baseada em artigos, livros e revistas com publicações que variaram de 1969 a 2015. Acredita-se, efetivamente, que se pode alterar o curso da história de muitos jovens, através da formação de vínculos entre os jovens, entre jovens e professores e entre os jovens e seus familiares. Há que não se concentrar apenas em conteúdos programáticos, todavia, atentar para a formação de laços humanos, capazes de alterar o rumo da vida de muitas crianças e adolescentes, que estão em situação de risco e, frequentam o ambiente escolar. Sendo a educação e a atuação do professor, verdadeiros instrumentos de transformação dos seres humanos.

 

Palavras-chaves:  afetividade na escola. dependência química. Educação. patologia aditiva. uso e abuso de drogas.

 

Downloads

Publicado

15.06.2022