OPÇÕES DE ACESSIBILIDADE DO EAD DESENVOLVIDO PELA SEDUC-PA PARA SURDOS DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19

Autores

  • Diego Nonato Bastos Dias Universidade Federal de Lavras https://orcid.org/0000-0003-1811-5167
  • Lorena De Fatima Maciel Reis Escola Superior da Amazônia (Esamaz)
  • Renan Guimaraes Lobato
  • Telma Nazaré de Souza Pereira

Resumo

Objetivou-se com este artigo verificar as opções de acessibilidade que foram usadas no Ensino a Distância (EaD) desenvolvido pela Secretaria da Educação do Pará (Seduc-PA) para surdos na pandemia da covid-19. A Metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica e documental, com abordagem qualitativas, e análise de vídeoaulas produzidas pela Seduc-PA e de notícias publicadas por esta de março a outubro de 2020. As análises foram realizadas utilizando-se as seguintes referências: Terceiro e Fontana (2015), Swanwick et al. (2020), Kritzer e Smith (2020),Zwan et al. (2016), Werneck e Carvalho (2020), Shimazaki, Menegassi e Fellini (2021) e Baroni e Lazzari (2020). Verificou-se que a Seduc-PA forneceu intérpretes de Língua Brasileira de Sinais (Libras) durante as videoaulas, entretanto, estas não tinham legendagem própria, além dessas aulas não serem disponibilizadas em um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), prejudicando assim a capacidade interacional entre os próprios discentes surdos e os ouvintes, e estes com seus docentes. Além disso, a Seduc-PA forneceu chips de internet para a mitigação dos efeitos da pandemia na aprendizagem dos surdos, porém, essa medida apenas contemplou os estudantes (ouvintes e surdos) matriculados no 3º ano do ensino médio, deixando muitos surdos de outros níveis educativos de fora. Concluiu-se que a Seduc-PA forneceu algumas opções de acessibilidade, porém, poderiam existir mais, e essas ações poderiam ser melhores segundo as referências utilizadas, tornando o processo educativo mais inclusivo.

Downloads

Publicado

15.06.2022