TREINO DA MARCHA EM INDIVÍDUOS COM DOENÇA DE PARKINSON: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

Autores

  • Gileno Edu Lameira Melo UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ
  • Jamile Benite Palma Lopes Universidade Nove de julho – UNINOVE
  • José Robertto Zaffalon Júnior Universidade do Estado do Pará (UEPA)
  • Claudia Santos Oliveira Centro Universitário de Anápolis – UNIEVANGELICA

Resumo

A doença de Parkinson (DP) afeta a mobilidade e controle postural em indivíduos idosos dificultando principalmente a marcha e contribuindo para o risco de tropeços e quedas. O treino da marcha parece diminui ou amenizar os efeitos deletérios da doença em relação a marcha do parkinsoniano. O objetivo do presente estudo foi avaliar diferentes tipos de treino da marcha em indivíduos com DP. Trata-se de uma revisão sistemática com inclusão de ensaios clínicos publicados nos últimos cinco anos (2011-2016). Os buscadores utilizados foram o Pubmed, Bireme, SciELO e PEDro. Utilizou-se a escala Physiotherapy Evidence Database (PEDro) para avaliação da qualidade metodológica dos estudos. 21 estudos foram incluídos e analisados. Conclui-se que o treino de marcha mais utilizado, seja de forma principal, complemento ou ainda comparativo é o treinamento de marcha em esteira sendo eficaz para melhorar a velocidade de marcha, comprimento do passo e cadência em DP.

Biografia do Autor

Gileno Edu Lameira Melo, UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ

Departamento de Desporto, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde,

Downloads

Publicado

30/09/2020

Edição

Seção

Revisões