Qualidade microbiológica do ar em Unidade de Atenção Básica de Saúde no município de Marabá-PA

Autores

  • Emanoelen Bitencourt e Bitencourt manuhbitencourt13@outlook.com
    Universidade do Estado do Pará
  • Jeisiane Souza de Oliveira jsouzaoliveira48@gmail.com
    Universidade do Estado do Pará
  • João Paulo Soares da Silva jp.22soares@gmail.com
    Universidade do Estado do Pará
  • Jobson dos Anjos Ferreira jobson777oliveira@gmail.com
    Universidade do Estado do Pará
  • Rithelly Sousa do Carmo rithellycarmo20@gmail.com
    Universidade do Estado do Pará
  • Milena Pupo Raimam Milena milenaraimam@gmail.com
    Universidade do Estado do Pará

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar a comunidade microbiana do ar interior de diferentes ambientes em uma Unidade de Atenção Básica de Saúde na cidade de Marabá-PA. O método de amostragem utilizado foi o de sedimentação passiva em placas de Petri, com os meios de cultivo Batata Dextrose (BDA), Plate Count Agar (PCA) e Ágar MacConkey (AMC), para investigação de fungos filamentosos, bactérias totais e enterobactérias, respectivamente, foram realizadas 3 coletas com intervalo de oito dias entre elas. A sala de PCCU apresentou maior média de crescimento de UFC/m³ em relação às bactérias totais (924 UFC/m³) ultrapassando os valores recomendados pela ANVISA de 750 UFC/m³, em relação aos fungos filamentosos as médias de UFC/m³ se mantiveram abaixo da média; não houve diferenças significativas entre os ambientes avaliados, os dados obtidos neste trabalho se enquadram aos parâmetros da RE 9 da ANVISA. A relação entre as condições de higiene do ambiente, manutenção dos condicionadores de ar e a carga microbiana do ar se confirma neste trabalho.

Biografia do Autor

Emanoelen Bitencourt e Bitencourt, Universidade do Estado do Pará

Discente Engenharia Ambiental

Jeisiane Souza de Oliveira, Universidade do Estado do Pará

Discente Biomedicina

João Paulo Soares da Silva, Universidade do Estado do Pará

Discente de Engenharia Ambiental

Jobson dos Anjos Ferreira, Universidade do Estado do Pará

Discente de Biomedicina

Rithelly Sousa do Carmo, Universidade do Estado do Pará

Discente Engenharia Ambiental

Milena Pupo Raimam Milena, Universidade do Estado do Pará

Dep. de Morfologia e Ciências Fisiológicas

Referências

ARAÚJO, J. F. S. et al. Incidência de Chrysonilia no ar da zona rural do município de Maranguape-Ceará. Ciência & Tecnologia: Fatec-JB, Jaboticabal, v. 8, número especial, 2016.

BALANI, K. C.; MARCUZ, F. S. Utilização do jaleco pelos profissionais de saúde de um Pronto Atendimento do município de Cianorte – Paraná - Brasil. Revista Uningá Review, v. 17, n. 1, p. 35-41, jan./mar. 2014.

BARUFFI, N. G. V. Análise da utilização dos bundles para prevenção de infecções em pacientes queimados. 2018. 70 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina de Botucatu, Botucatu, 2018.

BISOGNIN, R. P.; MARQUARDT, L. Avaliação da qualidade do ar interno de uma sala em prédio administrativo de Porto Alegre/RS. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, Florianópolis, v. 6, n. 1, p. 209-232, abr./set. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução no 9, 2003.

CAVALCANTI, A. M. et al. Análise da qualidade do ar interior sob a abordagem da manutenção preditiva e da inovação. Exacta, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 45-54, 2015.

CUNHA, R. M. A.; SOUZA, E. B. A.; GAZOLA, H. Q. G. B. Qualidade microbiológica do ar em ambiente de um Instituto de Oncologia e Radioterapia do município de Porto Velho.Saber Científico, Porto Velho, v. 6, n. 2, p. 54-63, jul./dez. 2017.

FAPESPA – Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas. Estatísticas Municipais Paraenses: Marabá. Diretoria de Estatística e de Tecnologia e Gestão da Informação. Belém, n. 1, jul./dez. 2016. 60 f.

HAMMER, O.; HARPER, D.A.T.; RYAN, P.D. PAST: Paleontological Statistics software for education and analysis. Paleontologia Electronica, v. 18, p. 9, 2018.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Downloads. 2010. Disponívelem: https://downloads.ibge.gov.br/. Acesso em: 10 jan. 2019.

LACERDA, R. A.; MARTONI, E. S.; SANTOS, M. C. L. Controle de infecção em centro cirúrgico: fatos, mitos e controvérsias. Porto Alegre: Atheneu, 2003. 542 f.

MARABÁ – Prefeitura de Marabá–Saúde: corujão da saúde ocorre em três unidades nesta segunda-feira, 2018. Disponível em: <http://maraba.pa.gov.br/saude-corujao-da-saude-ocorre-em-tres-unidades-nesta-segunda-feira/>. Acesso em: 31 mai. 2018.

MATOS, J. L. Qualidade do ar interior em ambientehospitalar: identificação de poluentes, fontes e estratégias para a otimização dos serviços de saúde. 2014. 106 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia do Ambiente)- Universidade Nova de Lisboa,Faculdade de Ciências e Tecnologia,Lisboa, 2014.

MOURA, S. K. M. Análise da qualidade do ar interno de um centro cirúrgico – verificação dos parâmetros físicos e da concentração de dióxido de carbono. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Mecânica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal-RN, p.12. 2018.

NUNES, L. M.et al.Identificação da população fúngica em amostras de ar coletadas em clínica de ensino de Odontopediatria. Revista da ABENO, v. 18, n.3, p. 84-92, 2018.

NUNES, Z. G. et al. Indoor air microbiological evaluation of offices, hospitals, industries, and shopping centers. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, v. 100, n. 4, p. 351- 357, jan./jul. 2005.

OSGEO – Open Source Geoespatial Foundation. Inc. QGis. Versão 2.14.15. Software, 2016.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

QUADROS, M. E. et al. Qualidade do ar em ambientes internos hospitalares: estudo de caso e análise crítica dos padrões atuais. Engenharia Sanitária e Ambiental, v.14, n.3, p.431-438, 2009.

RÊGO, C. M.; SANTOS, F. S. Ocorrência de fungos anemófilos e sua relação com fatores abióticos em Barreiras, Bahia. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 13, n. 4, p. 265-271, out./dez. 2015.

SANTOS, S. I. F. Avaliação da qualidade do ar em espaços de um edifício de Ciências. 2018. 69 f. Dissertação (Mestrado em Química) – Universidade de Lisboa,Faculdade de Ciências, Lisboa,2018.

SODRÉ, E. D.; TÓRTORA, J. C. O.; CORRÊA, S. M. Avaliação da qualidade do ar interior do Hospital Universitário Pedro Ernesto. Revista Sustinere, v. 2, n. 2, p. 36-56, jul./dez. 2014.

Downloads

Publicado

24.07.2019
Métricas
  • Visualizações do Artigo 194
  • PDF downloads: 87

Edição

Seção

Artigos Originais