Uma análise da influência da ginástica aeróbica sobre o bem-estar de mulheres

Autores

  • Rosângela Lima Da silva hmrose@gmail.com
    Universidade do Estado do Pará http://orcid.org/0000-0003-2000-4343
  • Claudinei Pereira Pinto claudinei1307@live.com
    Universidade do Estado do Pará
  • Márcio Rsicik marctuc@bol.com
    Universidade do Estado do Pará
  • Edna Ferreira Coelho Galvão efcgalvao@gmail.com
    Universidade do Estado do Pará

Resumo

O objetivo deste trabalho foi analisar a influência da ginástica aeróbica ao bem-estar de mulheres com idade entre 30 e 50 anos. Adotou-se como metodologia a pesquisa de campo com intervenção de aulas de ginástica aeróbica e para a coleta de dados foi utilizado o questionário do estilo de vida e bem estar (Pentáculo do bem-estar) proposto por Nahas, De Barros e Francalacci (2000)  antes e depois da intervenção; Participaram da pesquisa 15 mulheres do município de Altamira-PA; A intervenção se deu pela realização de aulas de ginástica aeróbica três vezes por semana durante 2 meses, com duração de 1 hora por aula. Nos resultados foi possível observar que as mulheres tiveram melhoras no quadro de seu bem-estar geral através da prática da ginástica aeróbica que influenciou melhorando o bem-estar das mulheres, principalmente nas áreas relacionadas a atividade física e a interação social.

 

Palavras-chave: Ginástica Aeróbica, Bem-Estar, Mulheres.

Biografia do Autor

Rosângela Lima Da silva, Universidade do Estado do Pará

Professora de educação física, com especialidades em educação física escolar, dança e ginástica."

Atua nos diversos ciclos de ensino, desde do básico ao nível superior, orientando artigos científicos e coordenando projetos.

Claudinei Pereira Pinto, Universidade do Estado do Pará

Graduado em Educação Física

Márcio Rsicik, Universidade do Estado do Pará

Professor de Educação Física atuante no Ensino Básico e ensino superior.

Edna Ferreira Coelho Galvão, Universidade do Estado do Pará

Possui graduação em Educação Física pela Fundação Oswaldo Aranha (1989), mestrado em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba (1998) e doutorado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (2004). Atualmente é professor adjunto iii da Universidade do Estado do Pará. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Saúde Coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: metodologia científica e ética em pesquisa, processos de investigação e promoção de saúde, corporalidade e processos de subjetivação, saúde coletiva e saberes e práticas em saúde, lazer e ludicidade.

Referências

BARBANTI, Valdir José; GUISELINI, M. Fitness: Manual do instrutor. São Paulo: Baliero, 1993.

BLYTH, M.; GOSLIN, B. R. Cardiorespiratory responses to" aerobic dance". The Journal of sports medicine and physical fitness, v. 25, n. 1-2, p. 57-64, 1985.

CAPPOZOLI, Carla Josefa. Motivação à prática regular de atividade física: um estudo com praticantes em academia de ginástica Porto Alegre. 2010. 153 f. Dissertação (Mestrado em ciências do movimento humano) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

CEAS, Bernad et al. Ginástica Aeróbica e Alongamento. São Paulo: Manole,1987.

COOPER, Kenneth H. Aerobics program for total well-being: Exercise, diet, and emotional balance. Bantam, 2013.

DE BARROS, Maurvo VG; NAHAS, Markus V. Comportamentos de risco, auto-avaliação do nível de saúde e percepção de estresse entre trabalhadores da indústria. Rev saúde pública, v. 35, n. 6, p. 554-63, 2001.

DELMON, Laura et al. Avaliação do vo2max de funcionários públicos participantes da modalidade de condicionamento físico do projeto bem estar e saúde na educação de Primavera do Leste-MT. RBPFEX-Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 10, n. 57, p. 5-9, 2016.

FALCÃO, Fabiana Martins Pousas. A influência da ginástica aeróbica na redução do percentual de gordura em mulheres de 18 a 24 anos. Caratinga/MG, 2008.

FIGUEIREDO, Helena Margarida Martins Pinto de. Estudo comparativo do perfil nutricional e composição corporal entre mulheres praticantes e não praticantes de ginástica aeróbica da cidade de Vila Real. 1999. 216f. Dissertação (Mestrado em ciências do desporto) Universidade do porto, Porto, 1999.

FREITAS, Sofia Mónica Gonçalves de. Análise das potencialidades da ginástica aeróbica e das percepções e motivações para a sua prática. 2014. Tese de Doutorado.

GIACOMONI, Claudia Hofheinz. Bem-estar subjetivo: em busca da qualidade de vida. Temas em Psicologia, v. 12, n. 1, p. 43-50, 2004.

Gil, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. - São Paulo :

Atlas, 2002.

Gil, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social 6. ed.- São Paulo : Atlas,2008

HOGA, Luiza Akiko Komura. Causas de estresse e mecanismos de promoção do bem-estar dos profissionais de enfermagem de unidade neonatal. Acta paul. enferm, v. 15, n. 2, p. 19-25, 2002.

LLOYD, Moya. Feminism, aerobics and the politics of the body. Body & Society, v. 2, n. 2, p. 79-98, 1996.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. In: Fundamentos de metodologia científica. -São Paulo: Atlas, 2003.

NAHAS, M. V. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativam. 2. ed. Londrina: Midiograf, 2001.

NAHAS, Markus Vinicius; DE BARROS, Mauro VG; FRANCALACCI, Vanessa. O pentáculo do bem-estar-base conceitual para avaliação do estilo de vida de indivíduos ou grupos. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 5, n. 2, p. 48-59, 2000.

POLICENO, Ana Claudia; PAGLIARI, Paulo; ZAWADZKI, Patrick. Perfil do estilo de vida dos funcionários da UNOESC-Chapecó. Biosaúde, v. 15, n. 2, p. 44-54, 2016.

SANTOS MAA. Manual de ginástica de academia. Rio de Janeiro, RJ: Sprint.1994.

SPIRDUSO, Waneen Wyrick. Dimensões físicas do envelhcimento. Baurueri, SP: Editora Manole Ltda, 2005.

Teixeira, Elizabeth. As três metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 7. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

TIMOSSI, L. S. et al. Diagnóstico do estilo e da qualidade de vida de trabalhadores em uma organização federal. In: Simpósio de Engenharia de Produção. 2006.

VALIM, Priscila Carneiro; VOLP, Catia Mary. Nível de condicionamento físico entre indivíduos que praticam a ginástica aeróbica por satisfação e aqueles que praticam por outros motivos. Revista Motriz, v. 4, 1998.

WELLS, Christine L. et al. Women, sport & performance: A Physiological Perspective. 2. Ed. Champaign: Human kinetics books, 1991.

Downloads

Publicado

15.08.2019
Métricas
  • Visualizações do Artigo 635
  • PDF downloads: 139

Edição

Seção

Artigos Originais