Geopoética do Orun ao Ayiê: a Terra que atravessa o Tempo, pelos caminhos de Obá e Oyá

Autores

  • Adriana Rolin Lopes Oliveira Ribeiro adrianarolin69@gmail.com
  • Lilian Amancai lilianteatreiros@gmail.com
  • Luiza Ponciano luiza.ponciano@unirio.br
    UNIRIO

Resumo

Representando uma união das Geociências com as Artes Cênicas e Geopoética, o objetivo deste trabalho foi criar e apresentar performances baseadas na Cultura Afro-brasileira, a fim de criar um novo material para o ensino e a divulgação das Ciências da Terra, além outras diversas matérias, em especial as que abrangem a Conservação da Natureza. Para tal, o foco foi em alguns ìtàn, que ampliam a nossa percepção das diversas formas de relação sensível e afetiva dos seres humanos com o planeta Terra, sintetizadas no termo Geopoética. A reintegração das expressões artísticas junto com os conteúdos científicos visa oferecer a oportunidade de trilhar caminhos diferentes para escutar, ler, sentir e pensar o mundo. A valorização da Cultura Afro-brasileira também é uma maneira de estimular o respeito pela diversidade de saberes, numa afinidade e intimidade mais profunda entre os seres humanos e a Natureza, dado que, mesmo sem perceber, nós somos Natureza. Estas novas performances foram apresentadas em escolas, universidades, museus e eventos culturais e científicos diversos, unindo o ensino e a divulgação das Geociências com o empoderamento feminino e a valorização da Cultura Afro-brasileira.

Downloads

Publicado

23/01/2024
Métricas
  • Visualizações do Artigo 74
  • PDF downloads: 38