O AMOR A SI E O DIVERSO DE SI: Uma hermenêutica crítica em busca da compreensão para os desafios identitários contemporâneos

Autores

  • Suelma Moraes PPGCR UFPb

Palavras-chave:

Hermenêutica, religião, alteridade, amor

Resumo

Este trabalho apresenta o entrecruzamento de duas obras de Paul Ricoeur, O simesmo como um outro e Vivo até a morte - seguido de fragmentos; para analisar a questão da alteridade e dos desafios dos processos identitários. O diálogo e a crítica reflexiva, a partir dos desenvolvimentos da identidade e alteridade, propõe uma nova compreensão sobre a identidade, sob uma inventividade de identidade, que não se compreende sem a alteridade. A ipseidade e mesmidade, sempre estão em jogos, do amor a si e o diverso de si, na estima a si mesmo, diante da solicitude da vida. A dialética nasce da confrontação dos ‘eus’ em si mesmo, num caminho marcado pela solicitude humana, que se faz solitário, mas não em solidão, em constante reflexão de análise crítica consigo mesmo e com o Outro. A dialética e a reflexão crítica é o percurso para apontar para os desafios identitários ideológicos marcados pelos processos de memória que são necessários para a compreensão do luto inacabado, que pressupõe uma hermenêutica crítica para a passagem entre a teoria e a ação, de uma dimensão ética em relação à vida. A reflexão crítica sobre o luto inacabado e a morte é o que nos lança para além das fronteiras do ‘eu’, como experiência vital de possibilidade de mediação para as relações e reconhecimento do Outro

Downloads

Publicado

08/10/2016