Ayahuasca, você conhece?

Autores

  • Afrânio Patrocínio de Andrade Pós-Doutor em Teologia pela Escola Superior de Teologia (EST, 2016), doutor em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP, 2000) e em Direito pela Universidade do Museu Social (UMSA, 2011). Mestre em Ciências da Religião (UMESP, 1995), bacharel em Direito pela Universidade São Francisco (USF, 1997), bacharel em teologia pela Escola Superior de Teologia (EST, 2010), licenciado em Filosofia pela Universidade Entre Rios (2013); Complementação Pedagógica em Filosofia (2015). É professor concursado na Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) desde 2015

Palavras-chave:

1. Ayahuasca, 2. Ethnicities, 3. Urbanization

Resumo

Este texto procura apresentar um panorama sobre a Ayahuasca, indicando aspectos históricos, situando os grupos usuários primários e atuais e apontando os campos de pesquisa, sem adentrar aos muitos detalhes que envolvem este fenômeno. Ao final indicamos algum bibliografia para aprofundamento

Biografia do Autor

Afrânio Patrocínio de Andrade, Pós-Doutor em Teologia pela Escola Superior de Teologia (EST, 2016), doutor em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP, 2000) e em Direito pela Universidade do Museu Social (UMSA, 2011). Mestre em Ciências da Religião (UMESP, 1995), bacharel em Direito pela Universidade São Francisco (USF, 1997), bacharel em teologia pela Escola Superior de Teologia (EST, 2010), licenciado em Filosofia pela Universidade Entre Rios (2013); Complementação Pedagógica em Filosofia (2015). É professor concursado na Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) desde 2015

Pós-Doutor em Teologia pela Escola Superior de Teologia (EST, 2016), doutor em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP, 2000) e em Direito pela Universidade do Museu Social (UMSA, 2011). Mestre em Ciências da Religião (UMESP, 1995), bacharel em Direito pela Universidade São Francisco (USF, 1997), bacharel em teologia pela Escola Superior de Teologia (EST, 2010), licenciado em Filosofia pela Universidade Entre Rios (2013); Complementação Pedagógica em Filosofia (2015). É professor concursado na Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) desde 2015

Referências

ANDRADE, Afrânio Patrocínio de. O fenômeno do chá e a religiosidade cabocla. Um estudo centrado na União do Vegetal. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião). São Paulo: Universidade Metodista de São Paulo, 1995.

COUTINHO, Tiago C. Xamanismo da floresta na cidade: um estudo de caso. Tese (doutorado em Antropologia). Rio de Janeiro: UFRJ, 2011. Disponível em: «https:// neip.info/texto/o-xamanismo-da-floresta-na-cidade-um-estudo-de-caso/». Consultado em 08 de março de 2018.

DE MORI, Bernd Brabec. LABATE, Beatriz Caiuby; JUNGABERLE, Henrik (ed.). The Internationalization of Ayahuasca. [s.l.: s.n.].

DOBKIN DE RIOS, Marlene; RUMRRILL, Roger. A Hallucinogenic Tea, Laced with Controversy: Ayahuasca in the Amazon and the United States. Westport, CT: Praeger Hardback, 2008.

GOULART, Sandra Lucia. Contrastes e Continuidades em uma tradição amazônica: as religiões da Ayahuasca. Tese (doutorado em Ciências Sociais). Campinas: UNICAMP, 2004.

KATSZUNG, B. G. Farmacologia Básica e Clínica. 6º ed.. Rio de Janeiro: Koogan, 1998.

LABATE, Beatriz Caiuby; ROSE, Isabel S.; SANTOS, R.G. Religiões ayahuasqueiras: um balanço bibliográfico. Campinas: Mercado de Letras: FAPESP; 2009.

LUNA, L. E.; AMARINGO, P. Ayahuasca Visions: The Religious Iconography of a Peruvian Shaman. Berkeley, CA: North Atlantic Books, 1991.

MACRAE, E. Guiado pela Lua: O Xamanismo e o uso ritual da Ayahuasca no culto do Santo Daime. São Paulo: Brasiliense, 1992.

MCKENNA, Dennis J. Ayahuasca: uma história etnofarmacológica. Ayahuasca: alucinógenos, consciência e o espírito da natureza. Rio de Janeiro: Gryphus, 2002. Disponível em «https://mundocogumelo.blog.br/ayahuasca-uma-historia-etnofarmacologica». Consultado em 18 de dezembro de 2017.

NARANJO, Plutarco. Hallucinogenic plant use and related indigenous belief systems in the Ecuadorian Amazon. Journal of Ethnopharmacology. Amsterdã: Elsevier. vol. 1, Issue 2, April 1979. pp. 121-145. Disponível em: «https://www.sciencedirect. com/science/article/pii/0378874179900035». Consultado em 7 de março de 2018.

Downloads