A invisibilidade das minorias religiosas em escolas públicas do Sistema Estadual na região de Londrina - Paraná (2016)*

Autores

  • Fábio Lanza Professor Adjunto do Departamento e do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da Universidade Estadual de Londrina.
  • Vinicius dos Santos Moreno Bastos Graduando do curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Londrina.
  • Lucas Luiz Jesus da Silva Graduando do curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Londrina.
  • Luis Gustavo Patrocínio Mestre e licenciado em Ciências Sociais, Especialista em Estatística pela Universidade Estadual de Londrina.

Palavras-chave:

1. Sociologia das Religiões, 2. Laicidade, 3. Religiões, 4. Educação pública - Ensino Médio, 5. Intolerância religiosa

Resumo

Este artigo analisa, a partir da autodeclaração dos estudantes, como são as relações entre as diferentes identidades religiosas e quais estão no ambiente escolar. A problemática investigada visou perceber qual é a compreensão dos sujeitos (estudantes do Ensino Médio) sobre o exercício da cidadania e a sua relação com o Estado Laico. A partir das atividades de extensão e pesquisa do Laboratório de Estudos sobre Religiões e Religiosidades (LERR-UEL) em parceria com o Observatório da Educação (OBEDUC CAPES) Ciências Sociais UEL, foi realizada uma pesquisa por meio de instrumento quantitativo de levantamento de dados - survey, aplicada em cinco colégios da rede estadual de Londrina, com uma amostra exploratória final de 326 questionários respondidos pelos os alunos, no segundo semestre de 2016. Como resultados, identificamos entre os sujeitos uma majoritária autodeclaração de adesão cristã, mas podemos observar que o maior número de casos de violência e intolerância religiosa está no ambiente escolar e em segundo lugar nas redes sociais, o que permite inferir que a ausência de declaração e a invisibilidade das minorias religiosas revelam-se como uma estratégia de autoproteção. De acordo com os dados analisados e as perspectivas apresentadas, o ambiente das instituições de ensino públicas investigadas é reprodutor de violência, pois os dados apontam o maior índice de intolerância religiosa registrado.

Biografia do Autor

Fábio Lanza, Professor Adjunto do Departamento e do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da Universidade Estadual de Londrina.

Professor Adjunto do Departamento e do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da Universidade Estadual de Londrina. Coordenador do Laboratório de Estudos sobre Religiões e Religiosidades e integrante da equipe do Programa OBEDUC/CAPES - "Observatório da Educação - Ciências Sociais CAPES UEL PR". E-mail: lanza1975@gmail.com

Vinicius dos Santos Moreno Bastos, Graduando do curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Londrina.

Bolsista PROIC pelo CNPq. Colaborador do Programa OBEDUC/CAPES - "Observatório da Educação - Ciências Sociais/CAPES UEL" e do Laboratório de Estudos sobre Religiões e Religiosidades (LERR-UEL).

Lucas Luiz Jesus da Silva, Graduando do curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Londrina.

Bolsista PROIC pela Fundação Araucária. Colaborador do Laboratório de Estudos sobre Religiões e Religiosidades (LERR-UEL). E-mail: lucas_l_dj@hotmail.com.

Luis Gustavo Patrocínio, Mestre e licenciado em Ciências Sociais, Especialista em Estatística pela Universidade Estadual de Londrina.

Pesquisador e bolsista do Programa OBEDUC/CAPES "Observatório da Educação - Ciências Sociais/UEL" e do Laboratório de Estudos sobre Religiões e Religiosidades da UEL. E-mail: patrocinolg@hotmail.com

Referências

AZZI, Riolando; GRIJP, Klaus van Der; BROD, Benno (org.). História da Igreja no Bra-sil: ensaio de interpretação a partir do povo. 3º ed. Petrópolis: Vozes, 1983.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1989.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Censo Demográfico. Rio de Janeiro. 2010.

DOMINGOS, Marília de Franceschi Neto. Ensino Religioso e Estado Laico: uma lição de tolerância. Revista de Estudos da Religião. São Paulo: PUC-SP, set. 2009. pp. 45-70. Dis-ponível em: http://www.pucsp.br/rever/rv3_2009/t_domingos.pdf. Acesso em 25 de outubro de 2017.

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4º ed. Tradução de Márcia Bandeira de Mello Leite Nunes. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.

HOORNAERT, Eduardo (et. al.) A evangelização do Brasil durante a primeira época colo-nial: o padroado português. In: AZZI, Riolando; GRIJP, Klaus van Der; BROD, Benno (org.). História da Igreja no Brasil: ensaio de interpretação a partir do povo. 3º ed. Petró-polis: Vozes, 1983. Capítulo 2. pp. 160-182.

MARTINS, Patrícia Carla de Melo. Padroado régio no auge do império brasileiro. Revista Brasileira de História das Religiões. Maringá: UEM: GTHRR-ANPUH, v. 2, n. 3, janeiro de 2011. pp. 01-15.

RANQUETAT JUNIOR, Cesar. Laicidade, laicismo e secularização: definindo e esclare-cendo conceitos. Revista Sociais e Humanas. Santa Maria: UFSM, v. 1, n. 21, junho de 2008. pp. 01-14.

RODRIGUES, Elisa. Ensino religioso, tolerância e cidadania na escola pública. Revista de Estudos e Pesquisa da Religião. Juiz de Fora: UFJF, v. 1, n. 16, 2013. pp. 763-782.

SANTOS, Cesar Augusto dos (et. al.). A fundação da cidade no contexto do padroado, a mística e as estratégias evangelizadoras dos jesuítas. In: VILHENA, Maria Angela; PAS-SOS, João Décio (org.). A Igreja de São Paulo: Presença católica na história da cidade. São Paulo: Paulinas, 2005. Capítulo 1. pp. 21-46.

VILHENA, Maria Angela; PASSOS, João Décio (org.). A Igreja de São Paulo: Presença católica na história da cidade. São Paulo: Paulinas, 2005.

Downloads