Dossiê: A Educação de Jovens e Adultos no tempo presente: entre silenciamentos, invisibilidades, retrocessos e resistências em políticas e práticas de currículo

29/06/2021

Informamos a subissão a partir de 01/07/2021 de artigos para o dossiê A Educação de Jovens e Adultos no tempo presente: entre silenciamentos, invisibilidades, retrocessos e resistências políticas e práticas de currículo, sob a organização da Profª Drª Alessandra Nicodemos (UFRJ) e Profª Drª Mariana Cassab (UFJF).

 

Políticas educacionais e de currículo, no tempo presente, desenvolvem-se de forma a acentuar na Educação de Jovens e Adultos processos de fragilização, de esvaziamento e de descaracterização dos sentidos estabelecidos nos importantes marcos legais da CF/88, da LDB 9394/96 e das Diretrizes Curriculares Nacionais para a EJA (2000). Os oitenta e sete milhões de sujeitos de direito da EJA, que não integralizaram a escolarização básica (Censo Demográfico, 2010), exigem compromisso de todas as instâncias sociais diante do franco ataque que reformas educacionais de cunho ultra neoliberal significam no sequestro de seus direitos fundamentais. Retóricas e interesses privatistas são fortalecidos, impondo a desescolarização para setores da classe trabalhadora, sobremaneira para os sujeitos da Educação de Jovens e Adultos. A concretude dessa tendência, de amplitude em diferentes realidades no mundo, pode ser identificada, no caso do Brasil, na análise do lugar da EJA nas inúmeras contrarreformas educacionais e curriculares vivenciadas nos últimos anos, a saber: a Reforma do Ensino Médio, a Base Nacional Comum Curricular, a regulamentação da Educação à Distância na Educação Básica, as alterações do Programa Nacional do Livro Didático e outras.

O objetivo do dossiê é reunir artigos, de realidades nacionais e internacionais, ocupados em entender como essas transformações deslocam políticas e práticas curriculares na modalidade nos seus diferentes contextos: a EJA escolar urbana e do campo, a educação para privados de liberdade, a EJA quilombola, indígena e para refugiados, a educação permanente e de adultos, entre outros. Perguntar como, nesse cenário, são concretizadas as produções e práticas curriculares nos diferentes sistemas educacionais e na escola. Destaca-se, ainda, a intenção de agregar estudos que procuram compreender tais processos nos contextos recentes da instrução remota, instituída por conta da pandemia de Covid-19, e que tem de forma bastante regressiva incidindo sobre a EJA e seus sujeitos. 

Período de submissão: 01/07/2021 a 20/09/2021